Connect with us

Sociedade

Greve deixa Luanda sem recolha de lixo

Redação

Published

on

Os trabalhadores da Empresa de Limpeza e Saneamento de Luanda (ELISAL), estão desde as primeiras horas desta quinta-feira, 30, em greve, para exigir o pagamento de dois meses de salários em dívida há mais de quatro anos.

Até agora, segundo a Comissão Sindical da empresa, o Conselho de Administração não deu quaisquer explicações sobre o caso.

Com esta greve de cerca de 300 trabalhadores a cidade de Luanda vai registar um acúmulo de lixo que pode levar à explosão de doenças, como o paludismo.

Em 2016 os trabalhadores tinha feito uma greve e acusaram a empresa de um atraso salarial de dois meses, de não avançar com a reconversão das carreiras e de violar direitos ligados à segurança e higiene no trabalho.

Henrique António Munda, responsável da Comissão Sindical na empresa, diz “não entender a razão do não pagamento dos salários”.

O funcionário da ELISAL acrescenta que se não houver acordo entre as partes, a greve vai continuar porque a situação mantém-se apesar de já ter passado pela empresa três diferentes direcções.

“Enquanto não houver uma resposta por parte da direcção da empresa, a greve vai continuar”, assegurou Munda.

Apesar dops esforços, não foi possível falar com a direcçao da empresa.

Recorde-se que, desde o início da actual legislativa, trabalhadores de vários sectores em Angola têm reclamado por melhores condições de trabalho, aumentos salariais e mais segurança e higiene no trabalho.

 

VOA

Continue Reading
Advertisement
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Advertisement

Colunistas

Ladislau Neves Francisco
Ladislau Neves Francisco (20)

Politólogo - Comunicólogo - Msc. Finanças

Olivio N'kilumbo
Olivio N'kilumbo (21)

Politólogo

Vasco da Gama
Vasco da Gama (74)

Jornalista

Walter Ferreira
Walter Ferreira (14)

Coordenador da Plataforma Juvenil para a Cidadania