Connect with us

Sociedade

Governo reage à reportagem sobre crianças vulneráveis em Viana

Published

on

O Governo reagiu à denúncia feita pela SIC Notícias de que cerca de duzentas crianças, subnutridas e doentes, estariam confinadas num barracão, na periferia de Luanda, sem supervisão de adultos ou assistência.

De acordo com o comunicado do Ministério das Telecomunicações, Tecnologias de Informação e Comunicação Social enviado ao Correio da Kianda, o Governo afirma ter tomado conhecimento de “uma matéria emitida por uma estação de televisão portuguesa, mostrando imagens de crianças num estado de saúde que inspira cuidados, algumas com aparente desnutrição grave e alto grau de vulnerabilidade social, completamente desprotegidas”.

Veiculada pela SIC Notícias a matéria diz que a denúncia terá sido feita pela associação “Pedacinho do Céu”, que, segundo a reportagem, lhes têm feito chegar alguns alimentos, mas, contudo, a fonte recusou-se a dar a localização das crianças.

No comunicado, o Executivo angolano apela à “estação de televisão que afirma levar a cabo uma investigação sobre o assunto, que partilhe com as autoridades angolanas as informações de que tenha conhecimento e que possam facilitar a localização das referidas crianças, para que sejam salvas”.

“O apelo é extensivo ainda a todas as pessoas de boa-fé e que detenham eventualmente alguma informação que facilite o processo de localização do referido centro”, diz o comunicado.

Tais crianças, segundo a reportagem, estariam concentradas num centro localizado no distrito urbano da Estalagem, município de Viana, em Luanda.

Ontem, divulgou a Angop, uma delegação multissectorial, integrada pelas ministras da Saúde e da Família e Promoção da Mulher, por agentes dos Serviços de Investigação Criminal (SIC) e quadros do Ministério da Justiça e Direitos Humanos esteve no local denunciado na peça.

Apesar das esforços, a agência de notícias alega que o suposto centro não foi encontrado.

Formada em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo, a profissional actua no mercado de comunicação há 18 anos. Iniciou a sua carreira em 2004, apresentando um programa de rádio e logo migrou para a comunicação digital, para a impressa e, posteriormente, a institucional. Tem vasta experiência como web journalist, criação e gestão de redes sociais, tendo participado dos projectos de desenvolvimento de diversos sites, blogs e redes sociais governamentais, privados e do terceiro sector. Reside em Luanda desde 2012, tendo trabalhado como jornalista no portal de notícias Rede Angola, como assessora de imprensa e directora de Comunicação e Operações nas Agências NC - Núcleo de Comunicação e F.O.T.Y, atendendo diversos clientes governamentais e privados. Actualmente trabalha como editora do portal Correio da Kianda.

Colunistas