Connect with us

Economia

Governo prevê crescimento do sector não petrolífero até 2050

Published

on

O sector de produtos não petrolíferos no país poderá apresentar um crescimento no Produto Interno Bruto (PIB) três vezes mais até ao ano de 2050, avançou ontem o Ministro de Estado para a Coordenação económica, Manuel Nunes Júnior.

De acordo com Manuel Nunes Júnior, o Produto Interno Bruto Não-Petrolífero (PIB-NP), actualmente situado nos 84 mil milhões de dólares americanos (USD), crescerá para 275 mil milhões até 2050, registando um crescimento de 3,3 vezes, nesse intervalo de tempo, quando a população angolana for de 70 milhões de habitantes, conforme a estimativas do Plano estratégico Angola 2050, apresentado em Luanda.

No referido plano, denominado “Angola 2050- Estratégia de Longo Prazo”, o PIB Per Capita Não-Petrolífero prevê um aumento de 1,2 vezes, saindo dos actuais 3.67 mil para 4.215 mil dólares. Esse crescimento deverá contar com o suporte das exportações não-petrolíferas de cujo crescimento é estimado em 13 vezes mais, passando de cinco mil para USD 64 mil milhões.

De acordo com o ministro de Estado para a Coordenação Económica, Manuel Nunes Júnior, estas projecções trazem uma mudança de paradigma no sistema económico e financeiro do país, onde a receita fiscal não petrolífera deverá crescer 56 pontos percentuais (56 pp), de 32 para 88 pp.

Neste período, o PIB, actualmente cifrado em USD 122 mil milhões deverá atingir 286 mil milhões de dólares, o que representará um crescimento de 2,4 vezes mais e a Dívida Pública conhecerá uma redução de 6 pp saindo dos 66 para 60 por cento sobre o PIB.

Para os próximos 27 anos, no quadro do Angola 2050, a esperança de vida dos angolanos aumentará seis anos, saindo de 62 para 68 anos de idade, sendo que a taxa de mortalidade, entre os cinco anos, baixará de 56 pp de 71 para 19%. As projecções indicam que o desemprego cairá 10 pp de 30 para 20 %.

Para este efeito, explica o ministro de Estado, a Estratégia Angola 2050 assenta sobre cinco eixos estruturantes, como a “Valorização do capital humano”, “Desenvolvimento estratégico das infra-estruturas”, Diversificação da economia, promoção de um ecossistema sustentável” e da “Garantia de uma nação justa e de igualdade de oportunidades”.

O processo de auscultação pública do Angola 2050 – Estratégia de Longo Prazo termina a 12 de Junho do corrente ano, na província do Zaire, e reserva o 29 de Maio para a auscultação da comunidade angolana na diáspora.

Colunistas