Connect with us

Politica

Governo garante que não enviou mercenários para combater na Ucrânia

Published

on

O governo angolano, através do Ministério das Relações Exteriores, emitiu esta sexta-feira, uma nota em que garante não ter enviado mercenários angolanos à Federação Russa, para combater na Ucrânia.

A nota vem desmentir uma notícia do canal de TV português CNN Portugal, veiculada esta sexta-feira, que dava conta de que autoridades angolanas teriam enviado mercenários à Ucrânia para reforçarem o contingente militar da Rússia.

Na nota de protesto, o Ministério das Relações Exteriores considera “falsas as informações difundidas pela cadeia CNN-Portugal, que denuncia uma suposta presença de mercenários angolanos naquele país”.

“O MIREX condena e rejeita tais informações, afirmando que constituem uma vontade deliberada para manchar e desacreditar a boa imagem das autoridades angolanas”, lê-se.

No comunicado o governo angolano sublinha por outro lado, que a CNN-Portugal não exerceu o contraditório para apurar a veracidade da informação, quando “teve toda a possibilidade de o fazer”.

Face a esta postura, as autoridades angolanas manifestam o seu desagrado junto das autoridades portuguesas, perante o prejuízo causado por este “acto irresponsável e reiterado da CNN-Portugal”.

No seu comunicado, o MIREX lembra que Angola já foi vítima de mercenarismo, nos primórdios da sua independência, tendo sempre condenado tais acções e tomando medidas enérgicas e exemplares para desencorajar práticas do género.

“Esta acção da estação de televisão CNN-Portugal em nada abona o bom relacionamento entre a República de Angola e a República Portuguesa”, declara-se na nota.

A Rússia leva a cabo, há mais de um ano, uma ofensiva militar na Ucrânia, que já provocou centenas de milhares de mortos e feridos, assim como milhões refugiados.

Colunistas