Connect with us

Mundo

Governo da RDC acusa M23 de querer atacar cidade de Goma

Published

on

O governo congolês acusou esta sexta-feira, 26, o M23 de reforçar as suas posições para atacar a cidade de Goma, em Kivu do Norte, no Leste da República Democrática do Congo (RDC).

“A situação de segurança continua dominada pelo reforço de várias posições por parte do RDF/M23 em antecipação a uma ofensiva geral com o objectivo confirmado, segundo as fontes, da ocupação da cidade de Goma”, alertou o porta-voz interino do governo, Augustin Kibassa, durante a reunião extraordinária do Conselho de Ministros em Kinshasa, destaca a imprensa da RDC.

Durante esta reunião, o vice-ministro do Interior relatou a rendição de 279 insurgentes Yaka conhecidos como Mobondo, de diferentes aldeias de Kinsele, Fumunketo, Bukana e Kizono.

Assegurou que a situação de segurança continua marcada pela continuação das operações de localização dos atacantes Mobondo que assolam a comuna das Maluku e a província do Kwango.

Por seu lado, o vice-ministro da Defesa Nacional da RDC revelou que a implementação, em Kinshasa, de medidas de segurança tanto no rio como em terra firme começa a dar frutos.

De recordar que 450 militares das Forças Armadas Angolanas (FAA) na RDC tendo como missão apoiar as operações de manutenção de paz e asseguramento das áreas de acantonamento do M23, na região Leste da República Democrática do Congo.