Connect with us

Politica

Governo cria Base de Dados Única para melhor apoiar população carenciada

Published

on

Angola vai contar, em breve, com uma base de dados única de protecção social para congregar informações que facilitem a gestão dos casos que obrigam a intervenção do Estado.

O anúncio foi feito nesta terça-feira, 28, em Luanda, pela ministra da Acção Social, Família e Promoção da Mulher, Ana Paula do Sacramento Neto, quando procedia ao discurso de abertura do seminário de capacitação de técnicos e gestores em políticas de protecção social, em Luanda.

A referida base de dados, de acordo com Ana Paula do Sacramento Neto, será capaz de congregar informações de vários sectores, no sentido de facilitar a gestão dos casos que obrigam a intervenção das autoridades angolanas.

Assegurou ainda que a Base de Dados Única, permitirá igualmente, ao executivo ter acesso a informação de áreas onde a implementação dos projectos de protecção social estejam ou não a ter sucesso, bem como uma melhor identificação das pessoas consideradas como sendo vulneráveis e como os referidos apoios sociais no país estarão a ser feitos.

Para o alcance deste objectivo, a governante disse ser necessário que os intervenientes do processo sejam devidamente capacitados para melhor servir.

Quanto à formação, que acontece em parceria com a UNICEF e a União Europeia, a ministra Ana Paula do Sacramento Neto referiu que constitui um momento de partilha de experiências internacionais na protecção social, com vista a garantia dos direitos do cidadão por via de plataformas integradas.

Neste quadro, frisou, espera-se o aprofundamento das técnicas e métodos utilizados para estabelecer o regime de protecção social financeiramente sustentável, fortalecer as capacidades e habilidades dos participantes no sentido de desenharem estratégias para reformar os esquemas e ampliar a cobertura da protecção social.

“Esperamos ainda a compreensão da importância da extensão da protecção social como mecanismo para reduzir a pobreza e as desigualdades sociais”, referiu.

Já o representante do UNICEF, Ivan Yerovi, disse que a protecção social faz parte dos principais desafios daquele organismo Internacional, com particular realce às crianças, pois o crescimento e desenvolvimento económico do país, o reforço do capital humano e, sobretudo, o bem-estar dos seus habitantes, passa por dar solução a esta área.

Ivan Yerovi acrescentou ainda que os sistemas eficazes de protecção social são reconhecidos globalmente como ferramentas poderosas para fornecer segurança de renda, prevenir e reduzir a pobreza e a desigualdade, bem como promover a inclusão social e a dignidade.

“O departamento ministerial tem como missão propor e executar as políticas sociais relativas aos indivíduos e grupos mais vulneráveis da população e coordenar a implementação da política nacional de Acção Social”, referiu.

O UNICEF, em parceria com a Organização Internacional do Trabalho (OIT), tem apoiado o fortalecimento das capacidades dos actores-chave do sistema nacional de protecção social através de formações, no âmbito do Programa “Melhorar as Sinergias entre a Protecção Social e a Gestão das Finanças Públicas”.

O acto formativo em protecção social que teve início nesta quinta-feira, 28 de Fevereiro, tem o término previsto para a próxima sexta-feira, 3 de Março.

A metodologia que está a ser usada na formação é o trabalho em grupos, divididos em oito sessões.