Connect with us

Destaque

Golf 2: Moradores agastados com assaltos

Published

on

O aumento de casos de assaltos a residências e cantinas, no bairro do Pia Marta, município do Kilamba Kiaxi, está a preocupar os moradores daquela zona, numa altura que, segundo denunciam, os autores dos assaltos, são na sua maioria, menores de idade.

De acordo com os moradores, os assaltos ocorrem na sua maioria no período da noite, principalmente a partir das 23 horas, quando a maior parte das pessoas se encontra a dormir.“Eles não têm medo de nada”, começou por contar uma moradora que, por temer represálias preferiu falar sob anonimato.

Segundo disse, durante os assaltos, os marginais não se coíbem e fazem-se mesmo transportar com picareta para arrombarem as portas.
“Durante algum tempo, o nosso vizinho, que o conheço apenas por ‘Azizi’, de nacionalidade Guineense, transformou-se era praticamente já a ‘presa’ fácil dos marginais”, recordou, realçando que o cidadão em causa viu a sua residência ser assaltada mais de três vezes e, por temer o pior, foi forçado abandonar o bairro.

Além dos assaltos a residências, denunciam os moradores, naquela área do município do Kilamba Kiaxi, tem sido também recorrente os assaltos a cantinas.
O último assalto, lembram, ocorreu na semana finda, quando três marginais armados invadiram uma cantina, tendo feito como reféns todos os clientes que se encontravam no interior desta.

“Quando um dos bandidos entrou, manipulou a pistola e depois ordenou que nos sentássemos e que o ‘mamadú’ entregasse todos os cartões de saldo e o dinheiro, caso contrário mataria toda a gente”, contou Juliana da Graça, para mais adiante acrescentar que, no momento do assalto, a rua ainda estava movimentada e muitos que por ali passavam se aperceberam do assalto.

“Mas em função de dois dos jovens estarem armados e a vigiarem a entrada, com medo da reacção dos marginais, ninguém se atreveu em reagir ou a intervir para frustrar a acção dos ‘amigos do alheio’ que, satisfeitos com o sucesso da ‘operação’, retiraram-se do local como se nada tivesse acontecido”, denunciaram.

Marginais muito jovens
Ao que disseram, os assaltos naquela parcela da cidade de Luanda são perpetrados, na sua maioria, por jovens com idades compreendidas entre os 17 e 18 anos, o que deixa mais preocupado os moradores.
E dizem porquê: “a maior parte dos assaltos que ocorrem aqui no bairro, é realizada por jovens, muitos deles menores de 17 anos, sendo que, alguns deles, são mesmo moradores do bairro”, acusaram, para depois referir que o ‘modus operandi’ pelos marginais é surpreender as pessoas que vão à escola ou ao serviço.
“Quando você é interpelado por eles fica a saber que vão mesmo te receber tudo, desde telefones, carteiras de documentos e, principalmente, o dinheiro”, desabafou António Manuel outro morador que falou á nossa reportagem.

“São todos conhecidos”
De acordo com os moradores e, para facilitar a acção policial, os marginais daquela zona são de facil identificação, pois têm um jeito peculiar na forma de andar que consiste em gingar o corpo e as pernas como se estivessem a fazer passagem de modelo.

Dentre as zonas consideradas perigosas em circular, principalmente de noite, destaca-se a zona da igreja do Piamarta, considerado um lugar fértil em termos de assaltos por causa da pouca iluminação na via.
“É muito arriscado passar aqui sozinho, porque os bandidos ficam sentados mesmo na paragem dos táxis. E dentre os grupos que normalmente actuam aqui, o mais perigoso é a União Total dos Criminosos, ou como eles mesmo chamam, (UTC). Esses sim, não perdoam nada nem ninguém”, denunciaram, para depois referirem que se alguém ousar refilar pode mesmo perder a vida.

Continue Reading
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *