Connect with us

Especial Benguela

Gestores hoteleiros: “já não temos quartos disponíveis desde Novembro“

Published

on

Numa ronda feita pela equipa de reportagem do Correio da Kianda aos principais hotéis da província de Benguela, nesta quinta-feira, 29, os gestores hoteleiros da província, quando questionados sobre a disponibilidade de quartos para quem ainda queira passar a virada de ano na “Terra das Acácias Rubras”, foram unânimes em afirmar: “já não temos quartos disponíveis desde o mês de Novembro”.

Colocamo-nos na via às 7 horas da manhã. O nosso destino inicial era o hotel Mil Cidades, um dos mais frequentados pelos turistas que passam pelas “Terras de Ombaka”. Fomos recebidos pela Dona Maria, gestora em exercício. A quantidade de hóspedes que entrava, chamava a nossa atenção. A cada 15 minutos chegavam pessoas. Foi assim que questionamos: tem sido assim todos finais de anos? Com um riso, a gestora respondeu que “sim”! 

“O nosso hotel é dos mais frequentados na província. Aqui recebemos pessoas vindas de diversos lugares de Angola e do mundo. Esse fluxo de turistas já reservou desde o mês de Novembro e estamos com os quartos lotados, Graças a Deus”, frisou.

Deixamos o Mil Cidades, era 7h43. Logo a 10 metros estava o Hotel Luxo. Caminhamos aproximadamente 4 minutos e chegamos à recepção do mesmo, identificamo-nos e fomos prontamente recebidos. A palavra era a mesma: “já não temos quartos disponíveis para esse final de ano”, disse a gestora do hotel.

“Desde Novembro que as pessoas de Luanda, Huambo, Huíla e estrangeiros já reservaram os quartos. Estamos felizes. A pandemia fustigou-nos, agora podemos sorrir e  posso mesmo afirmar que o sector hoteleiro na província já respira bons ares”, assinalou.

Avançamos, o nosso relógio marcava 8h22, entramos no grande Hotel Ombaka. Prontamente fomos atendidos pela Directora de Marketing e Relações Públicas, Stela de Andrade. Com um sorriso nos lábios demonstrava os bons ares que o mundo hoteleiro na província vive, neste final de ano, nas terras que curiosamente tem o mesmo nome do hotel em referência.

Stela contou-nos que para esse ano, as maiores reservas foram feitas por estrangeiros e que também já não há quartos disponíveis para esse fim-de-semana.

 “Estamos a arrebentar as costuras (risos). Não há quartos disponíveis. Os turistas já reservaram muito antes de Dezembro e, nesta altura, como veem, só estamos a recepcioná-los. Conseguimos sorrir e esperamos que no próximo ano tenhamos a mesma dinâmica. Benguela é atractiva e temos lugares belíssimos, comidas saborosas e gente carinhosa. Venham. Estamos abertos para receber qualquer um que queira visitar a nossa terra”, disse.

Em outros hotéis da província onde passamos, sem ouvir e gravar entrevistas, o cenário era o mesmo. O entrar de turistas dava conta de inúmeros cidadãos que escolheram passar o final de ano nas terras das lindas praias Morena, Baía Azul, Restinga, Caotinha, do Sombreiro, do Rio Catumbela, dos belíssimos lodges, das águas quentes do Balombo ou ainda dos pomares ao longo do rio Cavaco.