Connect with us

Desporto

General Hendrick desiste da corrida à presidência do Primeiro de Agosto

Published

on

O presidente cessante do clube 1° de Agosto, o general Carlos Hendrick, anunciou na tarde desta quinta-feira, em Luanda, a desistência à sua própria sucessão a frente do clube militar.

O anúncio foi feito pelo presidente da mesa da Assembleia da direcção cessante, João Pereira Massano, em Conferência de Imprensa, realizada na sede no Clube,RI20, na Maianga.

Na justificação, ladeado do general Hendrick, João Pereira Massano avançou que o objectivo da desistência é de permitir que “o 1° de Agosto continue a trilhar por um caminho normal, continue a fazer o percurso digno de um clube como o 1° de Agosto”, no sentido de “suavizar o processo em curso”.

“O Primeiro de Agosto entrou para uma fase de campanha, o general Hendrick esteve a concorrer à sua própria sucessão, auxiliado por muitos camaradas que aqui estão, mas a determinada altura do percurso, tomaram uma decisão para possibilitar que as coisas marchem de forma normal”, afirmou, garantindo a sua predisposição em “ajudar a direcção que sair eleita para dirigir o 1° de Agosto”, com vista a resolver, de forma conjunta os problemas que preocupam o 1° de Agosto, “para fazer com que o clube ganhe a mística de sempre”.

Sobre as razões da desistência, o porta-voz do encontro disse que foram analisados vários cenários.

“O 1° de Agosto tem preocupações muito sérias”, disse, reforçando que a campanha está a ser feita com “alguma lisura”.

“Pensamos que se surgirem situações que interrompam essa campanha, podem de uma ou de outra forma, não só trazer consequências à nova liderança, mas também levar à público situações que podem ser resolvida em sede própria. Por isso nós reunimos, chamamo-nos a razão em relação à alguns aspectos, analisamos o curso, da campanha, observamos que ao longo do período que vai desde o início da campanha, até agora alguma problemas não estavam resolvidos, quer atinente à organização do pleito como tal, quer outras que preocupam o 1° de Agosto e achamos por bem dar espaço aos nossos colegas, no sentido de continuarem essa marcha e nós com a nossa experiência, auxiliarmos a direcção que sair daí com o apoio que devem merecer do nosso lado a fim de que o nosso bem maior, o 1° de Agosto continue a sua marcha”, explicou.

Questionado se o elenco da direcção cessante não teme que seja encarada como sombra na futura gestão do clube, João Pereira Massano respondeu que “Nunca”, porque “O que nos motiva é sermos 1° de Agosto hoje, amanhã e sempre”.

Questionado ainda se a direcção cessante, que agora se retira da corrida à presidência do clube irá declarar-se apoiante à uma das duas listas correntes, aquele responsável explicou que cada membro da equipa é livre. “Isso já é decisão de cada um”.

Lembrar que o 1° de Agosto, clube das Forças Armadas Angolanas, anda mergulhado em crise de ordem financeira, desde que a ministra das Finanças anunciou em 2020 o corte da verba financeira anualmente cabimentada àquela agremiação desportiva, de 800 milhões para 200 milhões de kwanzas.

Na última semana os sócios do clube chumbaram em assembleia geral, o relatório de contas referente ao exercício econômico passado, por se ter verificado disparidade nas contas finais.

Continue Reading
1 Comment

1 Comment

  1. Enoque

    22/03/2024 at 6:01 am

    Eu acho quê é o certo, ele já deu tudo que tinha que dar.pra mim até ao momento é o melhor presidente que o clube já teve.

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *