Connect with us

Destaque

Funcionário da Coca-Cola em estado grave depois de levar choque eléctrico durante corrida de ciclismo

Published

on

No primeiro dia do 27º Campeonato Nacional de Ciclismo Unificado de Estrada, denominado CNCEU -Bengo 2017, realizada de 16 a 18 do mês em curso, o funcionário da empresa Coca-Cola, Nango Sebastião, cuja instituição foi um dos patrocinadores do evento, na preparação do cenário da prova, recebeu uma descarga eléctrica bruta, que obrigou a sua evacuação imediata para uma das unidades hospitalares de Luanda para tratamento, dado a gravidade do acidente.

O acidente ocorreu nos arredores da sede do Governo Provincial da Província do Bengo, na avenida da Açucareira, em Caxito, local escolhido para o corte de meta de todas as provas, entre às 08h00 e 9h30, antes do inicio do evento, numa altura em que Nango Sebastião, preparava-se para a colocação dos insufláveis (postigos de meta, etç) e todos os aparelhos de som de comunicação com os participantes,  que deviam ser suportados por um gerador.

Nango Sebastião, no mesmo dia, antes da primeira prova do CNCEU -Bengo 2017, disputado na especialidade de Contra-Relógio Individual de 20 quilómetros, foi evacuado inicialmente para o Hospital Neves Bendinha, única unidade hospitalar no país para tratamento de pacientes de queimaduras dos mais diversos graus. Contudo, a falta de condições para o tratamento de pacientes com queimaduras do terceiro grau, naquela unidade hospitalar, levou a sua transferência para a Clínica Sagrada Esperança, onde permanece até agora nos cuidados intensivos, com diagnostico reservado.

Independentemente do acidente não ter nenhuma repercussão e /ou responsabilidade com a organização, a nossa reportagem soube que, a Federação Angolana de Ciclismo(FACI) e o Governo da Província do Bengo, tudo fizeram e continuam a fazer para que Nango Sebastião, recupere o mais breve possível, e estão solidário com a família e empresa Coca-Cola, que tem sido parceiro da FACI em todos os eventos oficiais, neste momento particular de sofrimento que atravessam.

Continue Reading
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Colunistas