Connect with us

Sociedade

Funcionária da justiça em Benguela acusada de burla

Published

on

Natália Dias, funcionária da Delegação Provincial da Justiça de Benguela, no município do Bocoio, está a ser acusada por três jovens de, alegadamente, ter prometido 200 empregos para jovens, em troca de dinheiro

A denúncia partiu de três jovens que alegam que Natália Dias, que alegadamente se encontra em paradeiro incerto, lhes teria garantido enquadrá-los na função pública, em 2016, mediante uma contrapartida de 200 mil Kwanzas cada. Ana Delfina Calumbo, uma das vítimas, diz, em entrevista à TV Zimbo, ter tomado conhecimento das supostas vagas por via de uma amiga que a informou que o sector da Justiça naquela circunscrição territorial dispunha de 200 vagas de ingresso, mas para acedê-las os interessados teriam de desembolsar 200 mil Kwanzas.

Contou que a amiga, cujo nome não precisou, manifestou ter recebido um pedido da alegada directora da Justiça do Bocoio para arranjar 200 pessoas interessadas em trabalhar neste sector.

No dia 13 de Maio de 2016, um dos queixosos entregou-lhe 150 mil Kwanzas e os documentos usualmente solicitados em concursos públicos de admissão de novos funcionários. Mas ficou a promessa de que quando fosse enquadrada pagaria os restantes 100 mil Kwanzas.

Bernardo Ngando e João Domingos, outros dois queixosos, dizem ter visto defraudadas as suas espectativas ao serem burlados pela senhora em causa, uma vez que a mesma está incomunicável.

No primeiro contacto, contam, tudo indicava que Natália Dias fosse a pessoa que lhes resolveria os problemas de desemprego de que sofrem e depositaram total confiança. “Ela disse-nos, na altura, que era directora da Loja dos Registos do Bocoio e nós acreditamos”, afirmou um dos queixosos.

Entretanto, segundo os queixosos, as espectativas aumentaram ainda mais quando lhes foi sugerida a abertura de uma conta no Banco de Poupança e Crédito, por onde, alegadamente, passariam a receber os seus ordenados mensais.

Face à referida orientação recebida, os jovens convenceram-se de que a vaga “no aliciante sector da Justiça” estava garantida, porém, redondamente enganados.

Continue Reading
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *