Connect with us

Politica

Francisco Rasgado promete processar Secretário para Informação do MPLA

Published

on

Depois de ter sido absolvido pelo Tribunal de Comarca de Benguela dos crimes em que tinha sido acusado, difamação e injúria, no seguimento de um processo movido pelo actual Secretário para Informação do MPLA, Rui Falcão, o jornalista e director do jornal Chela Press, Francisco Rasgado, em entrevista à Rádio Ecclésia na cidade das acácias, prometeu levar às barras do Tribunal o ex-Governador de Benguela e o empresário Carlos Cardoso.

“Vou intentar algumas acções contra o senhor Rui Falcão e contra o senhor Carlos Cardoso”, prometeu.

O fundador do jornal Chela Press, de 64 anos, que afirma ter sido vítima do sistema político, referindo-se ao processo que o colocou nos bancos dos réus, denuncia haver políticos no país que têm estado a persuadir jornalistas para engavetar matérias que denunciam políticos corruptos.

“O que ficou claro é que há matérias que o jornalista não pode dar tratamento, nem meter na rua”, disse.

Depois de ter sido ilibado pelo Tribunal de Comarca de Benguela, Rasgado diz estar mais forte e promete trazer, nos próximos tempos, matérias de denúncias.

“Depois deste processo, eu vou aparecer muito mais forte”, afirmou.

De recordar que o Tribunal de Comarca de Benguela absolveu, na passada segunda-feira, 3, o jornalista Francisco Rasgado, no processo-crime sobre difamação e injúria, movido pelo antigo governador provincial, Rui Falcão, por considerar que o fundador do jornal Chela Press, não observou as normas da profissão na notícia sobre a transferência do equipamento do governo provincial para a empresa privada CCJ.

Na leitura do acórdão, o juiz António Santana explicou que Francisco Rasgado teve uma prestação ajustada ao momento actual, assente na defesa do interesse público por via de denúncias de irregularidades na gestão do erário.

Francisco Rasgado foi processado pelo ex-governador de Benguela, por ter acusado Rui Falcão de ter desviado, em benefício próprio, alguns equipamentos de construção civil reservados para a construção de estradas da província em que esteve como Governador.

Por: Dumbo António