Connect with us

Partidos Politicos

FNLA: Fernando Pedro Gomes anuncia fim da crise interna após duas décadas de instabilidade

Published

on

A Frente de Libertação Nacional de Angola (FNLA) foi o primeiro movimento político de libertação a surgir em Angola contra opressão colonial. Há mais de duas décadas que a FNLA, partido fundado pelo nacionalista Holden Roberto, está mergulhada numa crise de liderança e dividida em varias “alas”, que agudizam cada vez mais a instabilidade interna deste partido.

Segundo Fernando Pedro Gomes, o principal protagonista do conflito que gerou varias facções que durou mais de 20 anos, foi o Lucas Ngondas, que deixou a Presidência em Setembro do ano passado, após ser derrotado no ultimo congresso,  que elegeu Nimi ya Nsimbi, como novo presidente da FNLA.

De acordo com ex-candidato vencido do último congresso, Fernando Pedro Gomes, que falava ao Correio da Kianda, a crise que durou há vários anos, já não existe e os membros e militantes da FNLA têm agora um único presidente, Nimi a Nsimbi, eleito no VI conclave.

Fernando Pedro Gomes responsabiliza o clima de instabilidade que a FNLA viveu há décadas ao ex-presidente Lucas Ngonda, e garante que actualmente os militantes estão todos engajados a lutar pela unidade e reconciliação do partido.

O actual membro do Conselho Político da FNLA realçou que os mais velhos têm a missão de consolidar e fortalecer esta união que existe actualmente no partido.
O político apela aos irmãos que continuam desavindos com actual direcção que se revejam e procurem aproximar-se cada vez mais.

“essas pessoas é que devem entender em que situação nós estamos e o que pretendemos para que tenhamos uma FNLA de facto desejado para que no mínimo regresse aos níveis dos anos anteriores”.

Pedro Gomes garantiu ainda que os irmãos deverão alcançar um resultado positivo neste ano eleitoral, sobretudo pela união e reconciliação que o parido vive hoje.
O candidato que ocupou o terceiro lugar no último congresso com de 124 votos, atrás de Lucas Ngondas com 242 votos e do Candidato Nimi Ya Nsimbi, vencedor com 258 votos, sublinou que o processo de impugnação do congresso, que havia sido interposto pelo então auto-declarado presidente da FNLA Pedro Dala, já não existe no Tribunal Constitucional, e que todos devem cerrar fileiras em torno da actual direção reconhecida pelas instituições do país.

Fernando Gomes disse que o conflito interno da FNLA e a sua crise de liderança, teve o seu fim com a derrota de Lucas Ngondas como mentor da crise da organização.

Colunistas