Connect with us

Eleições 2022

PHA: Florbela Malaquias promete acabar com a fome e a pobreza

Published

on

A presidente do Partido Humanista de Angola (PHA), Florbela Malaquias, prometeu este sábado, na cidade de Menongue, província do Cuando Cubango, trabalhar arduamente para acabar com a fome e a pobreza, no seio dos angolanos, caso vença as eleições agendadas para 24 de Agosto.

Florbela Malaquias disse que, em caso de vitória, o PHA tem uma fórmula bem elaborada, no quadro do programa de governo para o período 2022/2027, que consiste na distribuição de terras aos legítimos proprietários, o povo, para a produção massiva de todo o tipo de alimentos do campo, fomento da Agropecuária, Piscultura, Apicultura, entre outros, bem como promover o crescimento industrial junto dos camponeses e cooperativas agrícolas dentro das políticas de humanização da sociedade.

“Queremos organizar terras aráveis para que todos os angolanos possam cultivar alguma coisa, para que a curto prazo possa acabar com a fome e a pobreza no país”, apontou, acrescentando que tem estado a percorrer o país no sentido de apelar aos cidadãos nacionais para votarem no PHA, o único partido humanista em Angola e capaz de resolver os problemas das comunidades.

Florbela Malaquias disse ainda que irá conceder emprego para todos os cidadãos maiores de 18 anos e subsídio para as mães desempregadas, para que possam cuidar dos filhos, mecanismo que, acredita, pode contribuir na erradicação da delinquência no país.

Salientou que os idosos e vendedoras dos mercados informais serão inseridos no Instituto Nacional de Segurança Social (INSS), para que no futuro todas as pessoas possam ser assistidas, recebendo a pensão de reforma, como método de se erradicar o elevado número de mendigos que vivem a pedir esmolas um pouco por todo o país.

Segundo a líder do PHA, todos os jovens terão acesso à formação académica e técnico-profissional gratuita, bem como o ingresso em qualquer concurso público, sem escolha de filiação partidária dos candidatos.

Disse que as eleições são uma festa do povo que depois de se apurar os resultados o partido vencedor deve festejar com harmonia, longe de emoções violentas e quem perder deve reconhecer a derrota como um bom perdedor, à luz dos princípios democráticos que norteiam a Constituição da República de Angola (CRA).

Salientou que é necessário que todos os eleitores tomem a decisão de afluir em massa nos locais de voto para poderem exercer o seu direito de voto, para depois evitar arrependimentos quando forem eleitos os novos governantes.

Fonte: Jornal de Angola