Connect with us

Economia

Fitch piora Perspectiva de evolução de Angola para estável

Published

on

A agência de notação financeira Fitch Ratings desceu hoje a Perspectiva de Evolução da economia de Angola, de Positiva para Estável, mantendo o rating em B e piorando as previsões macro-económicas.

“A revisão do ‘outlook’ de Angola de Positiva para Estável reflete as previsões de menor crescimento económico, maior inflação e um aumento no rácio da dívida face ao Produto Interno Bruto (PIB) em resultado da forte depreciação do kwanza”, lê-se na nota que explica também a decisão de manter o ‘rating’ em B-.

A Fitch Ratings reduziu a previsão de crescimento para 1,5% do PIB este ano 2% no próximo ano, face aos 3,1% registados em 2022, estimando também que a inflação suba de 14,7%, no final deste ano, para 17,1% em 2024, quando até agora previa que já no próximo ano os preços crescessem a apenas um dígito.

“O crescimento económico mais fraco reflete a menor produção petrolífera face a 2022, que prevemos que vá descer para uma média de 1,09 milhões de barris por dia neste e no próximo ano, face aos 1,14 milhões de barris diários no ano passado”, explica a Fitch.

Na nota, os analistas estimam ainda que o kwanza, que perdeu 30% do valor face ao dólar no primeiro semestre, chegue ao final do ano a valer 760 kwanzas por dólar, face aos 504 kwanzas por dólar no final de 2022, “mas uma depreciação maior é possível se a oferta interna continuar limitada”, alertam.

Sobre o rácio da dívida pública, que está fortemente ligada à evolução da moeda, a Fitch Ratings prevê que Angola falhe as metas, chegando ao final deste com uma dívida de 78,9% do PIB, crescendo face aos 65,2% registados em 2022.
“Isto reflete principalmente a desvalorização do kwanza, já que 71% do volume de dívida total é denominada em moeda estrangeira”, explicam, prevendo que um forte crescimento nominal do PIB no próximo ano sustente uma descida do rácio para 69,9% em 2024.

“Isto contrasta com a nossa previsão anterior de um declínio na trajectória da dívida, para 58% e 54,5% em 2023 e 2024”, salientam.

Para além de descerem a previsão de evolução da economia para Estável, o que significa que Angola não deverá assistir uma melhoria do rating nos próximos 12 a 18 meses, continuando em B-, ou seja, abaixo da recomendação de investimento, a Fitch Ratings anunciou também que decidiu manter a avaliação da qualidade de crédito soberano no nível actual: B- para as emissões em moeda externa, e B- para as emissões em moeda local.

“A manutenção do rating equilibra um conjunto de indicadores de governação fracos, elevada inflação e um dos maiores níveis de dependência das matérias primas entre os países analisados pela Fitch, com um nível maior de reservas externas face aos seus pares e riscos geríveis nos pagamentos de dívida devido ao preço favorável do petróleo, que prevemos ser de 80 e 75 dólares neste e no próximo ano”, concluem os analistas.

Com Agências