Conecte-se agora

Bastidores

Filipe Nyusi pode ter cometido o crime de falsas declarações

O presidente da República moçambicana Filipe Nyusi pode ter cometido o crime de falsas declarações, no âmbito do processo relativo às chamadas dívidas ocultas, naquele que é considerado o maior escândalo financeiro no país irmão do Índico.

Redação

Publicados

on

filipe nyusi pode ter cometido o crime de falsas declarações - WhatsApp Image 2019 04 05 at 19 - Filipe Nyusi pode ter cometido o crime de falsas declarações

De acordo com fontes da Procuradoria-Geral da República de Moçambique, investiga o mega processo, desde 2015, quando foi despoletado o escândalo das dívidas contraídas, com garantias soberanas, pelas empresas EMATUM, MAM e ProIndicus, o Chefe de Estado moçambicana foi ouvido na qualidade de declarante, no seu gabinete de trabalho, em Maputo, no dia 8 de Agosto de 2018 pelo Procurador-Geral Adjunto Alberto Paulo, pois na altura da contratação dos empréstimos ele era Ministro da Defesa, com papel relevante e cimeiro na criação do Sistema Inegrado de Monitoria da Costa moçambicana.

Na referida audição Filipe Nyusi afirmou que não sabia como foi desencadeado o processo para o financiamento das empresas junto do Credit Suisse (banco britânico, com sede em Londres) e que não tinha domínio sobre os contratos subscritos pelas empresas para aquisição de equiamento junto da Abu Dhabi Mar e Privinvest e em nenhum momento foi falado sobre as empresas em causa, lideradas pelo franco-libanês Iskandar Safa, com ligações em Angola.

Porém, uma carta, datada de 14 de Janeiro de 2013, da autorida de Filipe Nyusi, enquanto Ministro da Defesa, posta a circular em Moçambique desmente as declarações do Presidente moçambicana porque. Na missiva dirigida ao então Ministro das Finanças (Manuel Chang) e com conhecimento do ex-Director dos Serviços de Inteligência (Gregório Leão) Nyusi solicita ao Ministro a assinar os termos do acordo com o banco londrino, para o financiamento na aquisição de equipamento para a protecção da costa e dos recursos naturais e das infraestruturas envolvidas nas actividades de exploração e prospecção petrolífera. E esses termos do acordo eram o resultado das negociações com o Credit Suisse e que o envio desses termos às entidades em causa prova que Filipe Nyusi sabia como foi desencadeado o processo para o financiamento do projecto.

De acordo com a legislação penal moçambicana, ao proceder dessa forma o Chefe de Estado moçambicana incorre no crime de falsas declarações, punido com uma pena de 2 a 8 anos de prisão.

 

Felizardo Tchipindje

Publicidade

Colunistas

Ana Margoso
Ana Margoso (14)

Jornalista

António Sacuvaia
António Sacuvaia (268)

Editor

Diavita Alexandre Jorge
Diavita Alexandre Jorge (12)

Politologo

Ladislau Neves Francisco
Ladislau Neves Francisco (15)

Politólogo - Comunicólogo - Msc. Finanças

Olivio N'kilumbo
Olivio N'kilumbo (17)

Politólogo

Vasco da Gama
Vasco da Gama (65)

Jornalista

Walter Ferreira
Walter Ferreira (7)

Coordenador da Plataforma Juvenil para a Cidadania

Publicação