Connect with us

Desporto

FIFA investiga insultos racistas sofridos por jogadores da Inglaterra

Published

on

A FIFA anunciou hoje, que vai investigar os alegados insultos racistas sofridos por jogadores da Inglaterra na partida frente à Hungria, de qualificação para o Mundial2022 de futebol, garantindo que vai tomar as “medidas adequadas”.

“A FIFA rejeita fortemente todas as formas de racismo e violência e tem tolerância zero para tais comportamentos no futebol”, refere o organismo que tutela o futebol mundial em comunicado.

O organismo acrescenta ainda que vai tomar medidas: “A FIFA vai tomar as medidas adequadas assim que recebe os relatórios do jogo de quinta-feira entre a Hungria e a Inglaterra”.

Na quinta-feira, em Budapeste, no jogo entre Hungria e Inglaterra, de qualificação para o Mundial2022 de futebol, que os ingleses venceram por 4-0, alguns adeptos fizeram sons de macacos, ainda durante o aquecimento, na direcção de Raheem Sterling e Jude Bellingham e depois o mesmo ocorreu durante o jogo. O público atirou ainda copos de plástico para o relvado, na altura dos golos ingleses.

De acordo com a notícia publicada pela Agência Lusa, Boris Johnson, primeiro-ministro britânico, afirmou, hoje, que os insultos racistas ocorridos no jogo entre Hungria e Inglaterra, de qualificação para o Mundial2022 de futebol, são “completamente inaceitáveis” e pediu a intervenção da FIFA.

“É completamente inaceitável que os jogadores de Inglaterra tenham sofrido insultos racistas na Hungria. Peço à FIFA que tome fortes medidas contra os responsáveis para que este tipo de comportamentos vergonhosos sejam erradicados do desporto para sempre”, escreveu Boris Johnson, na sua conta oficial da rede social Twitter.

Tal como Boris Johnson, a Federação Inglesa de Futebol (FA) solicitou à FIFA que investigue os incidentes ocorridos na capital húngara.

“É muito decepcionante ouvir relatos de acções discriminatórias contra alguns dos nossos jogadores. Pediremos à FIFA que investigue o que aconteceu. Continuamos a apoiar os jogadores e funcionários no combate contra a discriminação em todas as suas formas”, frisou a FA, em comunicado.

Por Pedro Kididi

Continue Reading
1 Comment

1 Comment

  1. Nguenji

    06/09/2021 at 1:10 pm

    Uma desgraca para a nossa raca..!
    Sofre na Europa o racismo dos brancos
    Sofre em seu proprio continente,na sua propria terra, o racismo da seus proprios irmaos de raca..!
    Veja-se o caso de Angola, com os cabudius, latons, pretos que pensam como brancos,etc. etc..!
    Somos uma desgraca..!

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Advertisement

Colunistas

Daniel Sapateiro
Daniel Sapateiro (13)

Economista e Docente Universitário

Ladislau Neves Francisco
Ladislau Neves Francisco (25)

Politólogo - Comunicólogo - Msc. Finanças

Olivio N'kilumbo
Olivio N'kilumbo (21)

Politólogo

Vasco da Gama
Vasco da Gama (88)

Jornalista

Walter Ferreira
Walter Ferreira (21)

Coordenador da Plataforma Juvenil para a Cidadania

© 2017 - 2021 Todos os direitos reservados a Correio Kianda. | Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização.
Ficha Técnica - Estatuto Editorial RGPD