Connect with us

Sociedade

Familiares da jovem vítima de complicações com jarda ponderam processar médicos

Published

on

Familiares da jovem de 32 anos que morreu, no passado dia 04 de Março, após fazer alegadamente o uso excessivo da jarda, ponderam processar a equipa médica que vazou as imagens chocantes da malograda por “violação do bom nome da vítima e da família”.

A revelação foi feita à Rádio Correio da Kianda, por Aldemiro Quintas, porta-voz da família, que promete mover acção judicial contra a equipa médica, por supostamente violar a deontologia profissional.

Vale lembrar que, Delfina Lopes Joaquim, mais conhecida por “Preta”, nos últimos 12 anos vivia na África do Sul. Entretanto, veio a Angola para dar continuidade ao tratamento junto da família.

“Preta” foi recebida no Hospital Américo Boa Vida onde recebeu os cuidados médicos, até ao último momento de sua vida.

Jornalista multimédia com quase 15 anos de carreira, como repórter, locutor e editor, tratando matérias de índole socioeconómico, cultural e político é o único jornalista angolano eleito entre os 100 “Heróis da Informação” do mundo, pela organização Repórteres Sem Fronteira. Licenciado em Direito, na especialidade Jurídico-Forense, foi ainda editor-chefe e Director Geral da Rádio Despertar.