Connect with us

Reportagem

Facilidade em roubar placas de viaturas no Zango 8 mil leva meliantes a mudarem-se para bairro próximo à centralidade

Published

on

As denúncias de que o bairro Santa Paciência tem estado a se tornar num esconderijo de meliantes provenientes de várias zonas de Luanda, junto das esquadras do Zango 8 mil e Capapinha, parece não estar a merecer atenção dos agentes que naquelas esquadras trabalham, disseram ao Correio da Kianda, cidadãos daquele bairro, ligado à Centralidade do Zango 8 mil, onde um número considerável de moradores alimenta-se de ratos para atenuar a fome que os atormenta, devido a pobreza.

Localizada bem ao lado da Centralidade do Zango 8 mil, no distrito do Zango, município de Viana, trata-se de um bairro onde falta quase tudo, ou seja, a autoridade do Estado, pouco ou quase nada se vê. Sem energia, água potável, esquadra policial ou uma escola do Estado, o Santa Paciência, é um bairro onde boa parte das residências são casebres, o que, de acordo com os moradores, tem estado a tornar-se num lugar propício para os amigos do alheio.

É nas obras inacabadas, contam, no cemitério clandestino, onde são guardadas as armas, que no calar da noite são recolhidos para práticas de assaltos.

Como resultado da letargia da polícia das esquadras localizadas no Zango 8 mil e Capapinha, revelam, nos últimos dias, moradores da centralidade Zango 8 mil têm se deparado com constantes assaltos, com os marginais a fazerem “razias” no roubo de placas de viaturas, que segundo alguns moradores, no mês de Outubro, marginais realizaram um roubo em grande escala em suas viaturas.

“É muito roubo de placas. Este mês de Outubro foi uma razia de roubos de placas aqui no Zango 8 mil. Nem parece que tem esquadra e uma central do SIC aqui”, lamentou, em conversa com o Correio da Kianda, Leopoldo João, morador da centralidade do Zango 8 mil.

“Os gatunos que assaltam na Centralidade são da cidade e de outros bairros, mas que agora vieram se esconder aqui neste bairro da Santa Paciência. Aqui a polícia não passa. Já fomos denunciar bwe de pessoas que vendem liamba, mas até agora nunca vieram lhes buscar, são gatunos, nunca vieram lhes buscar. Assim vamos queixar mais como? Por isso é que agora estão a invadir a centralidade para ir roubar”, denunciou uma jovem, moradora do Bairro Santa Paciência, que pediu anonimato.