Connect with us

Destaque

“Façamos de 2018, o ano da despartidarização do Estado e da reconciliação nacional” – Isaías Samakuva

O presidente da UNITA, Isaías Samakuva, manifestou ontem em Luanda, a disponibilidade do seu partido para uma concertação directa com o MPLA, e o Estado, para a concretização da reconciliação nacional.

Published

on

Isaías Samakuva, que discursava na cerimónia de cumprimentos de fim de ano, considerou o atual momento político de Angola uma “oportunidade para os angolanos encontrarem novos caminhos e abordagens para a concretização da reconciliação nacional”.

Para o presidente da UNITA, os princípios orientadores do diálogo poderão incluir o reconhecimento de que são todos culpados, responsáveis e vítimas do passado, que uma guerra civil não tem vencidos nem vencedores e que a história política de Angola deve ser escrita no espírito da reconciliação nacional e da construção da nação.

Na sua proposta, Isaías Samakuva apresenta como pontos a incluir na agenda deste “amplo e decisivo diálogo nacional”, a afirmação da vontade política do Estado para encerrar a era da partidarização do Estado, o fim do período da utilização dos cargos públicos para enriquecimento ilícito, a abordagem da “questão mal resolvida da desmobilização dos ex-militares, antigos combatentes e veteranos da pátria, entre outras questões.

“Pela complexidade que a reconciliação nacional encerra em Angola, o modelo a seguir e os conteúdos devem revisitar as fórmulas ancestrais, as experiências contemporâneas de vários países que experimentaram o fratricídio e contextualizá-las de forma a criar-se espaço político, económico, social e cultural, onde seja possível viver a verdade, o perdão, a justiça, o reconhecimento e a aceitação recíproca”, referiu.

O dirigente da UNITA considerou que o início de 2018 constitui uma oportunidade ímpar para os angolanos começarem “a partir os muros altos da partidarização do Estado” e darem início à construção dos fundamentos “para a construção de nação, inclusiva, solidária e verdadeiramente reconciliada”.

“Façamos de 2018, o ano da despartidarização do Estado e da reconciliação nacional”, exortou Isaías Samakuva, que vai continuar à frente dos destinos do partido até 2019, correspondendo ao desejo dos militantes, apesar de ter manifestado este ano vontade de deixar o cargo.

Continue Reading
2 Comments

2 Comments

  1. Manuel Canico

    23/12/2017 at 11:30 am

    Tema da reconciliação mais realista e menos (in)formal, despartidarização da administração pública e conclusão de pendentes sobre a inserção social de ex-militares! Parabéns pela assertividade. Aliás, depois do alvoroço sobre o adiamento da saída, tem de apresentar trabalho palpável…

  2. Elias Sofrimento

    24/12/2017 at 1:29 pm

    Este e o homem que angola precisa.Nao lhe falta nada para comer mas,pensa nos homens que deram tiro e trouxeram liberdade e paz,que sao ignorados e passam por bons bocados como se nunca serviram a patria. Sama insta e aperte cota jlo creio que tbem sente pelo ambandono do entao soldado.

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *