Connect with us

Ciência & Tecnologia

Executivo investe na criação de mercado da teledifusão

Published

on

O ministro das Telecomunicações, Tecnologias de Informação e Comunicação Social (MINTTICS), Mário Augusto da Silva Oliveira, manifestou esta sexta-feira, em Luanda, a intenção do Executivo continuar a investir em projectos indutores para a criação de indústria e mercado da teledifusão.  

Segundo o ministro, que falava na cerimónia de apresentação dos secretários de Estado das Telecomunicações, Tecnologia de Informação, Pascoal Fernandes, e da Comunicação Social, Nuno Albino Caldas, a ideia enquadra-se na estratégia da comunicação digital.

Para isso, Mário Augusto da Silva Oliveira aponta maior investimentos a nível das infraestruturas nacional de banda larga em fibra óptica submarina e terrestre, infra-estruturas de transmissão do satélite do projecto da rede de comunicação AngoSat e do programa de observação da terra, no quadro da estratégia do gabinete de Gestão do Programa Espacial Nacional (GGPEN).

Neste contexto, o titular da pasta do MINTTICS avançou que o projecto AngoSat-2 está em curso, e o país, bem como as operadoras vão beneficiar com os serviços a serem disponibilizados brevemente.

O Angosat-2 é o satélite substituto do Angosat-1, o primeiro satélite angolano, lançado em Dezembro de 2017, tendo perdido o contacto com a estação de lançamento pouco tempo depois de entrar em órbita.

O novo satélite é baseado na plataforma Eurostar-3000, contando com uma expectativa de vida útil de até 15 anos.

Durante o seu discurso no acto de apresentação, que contou com a presença dos Directores Nacionais, Presidentes dos Conselhos de Administração e funcionários seniores do MINTTICS, reiterou a melhoria das condições sociais e de trabalho dos funcionários a nível dos órgãos de tutela.

Quanto a formação, Mário Augusto da Silva Oliveira não deixou de parte, tendo destacado os profissionais das empresas públicas de comunicação social, assim como o pessoal das áreas técnicas e de engenharias, considerando estes, o garante para uma boa comunicação.

No que toca ao Centro de Formação de Jornalistas (CEFOJOR), o ministro referiu que deverá prosseguir o processo de revitalização, com objectivo de criar melhores competências para que os técnicos da Comunicação Social possam responder continuamente os grandes desafios.

Para a TPA, o titular da pasta sublinhou que o programa de modernização não termina com a implementação do canal de notícias, estando de momento a ser preparado o surgimento de mais canais e melhoria da produção de conteúdos.

Na Rádio Nacional de Angola, referiu que uma das missões a prosseguir é a modernização da rede de emissores para a expansão do sinal de radiodifusão em algumas zonas cinzentas ainda registadas.

“Essa modernização está acoplada a emissão online, assim como a descontinuação do canal internacional no formato analógico para o digital”, referiu.

No que toca aos Jornais, o ministro sublinhou que as empresas e detentores dos serviços de publicação, deverão melhorar a componente de circulação para que chegue às zonas mais recônditas do país.

O ministro solicitou ainda aos secretários de Estado Pascoal Fernandes e Nuno Albino Caldas, maior empenho, dedicação e responsabilidade, na execução das suas tarefas, no sentido de garantir o bom funcionamento do sector.