Connect with us

Politica

Executivo e associações discutem fixação do salário mínimo nacional

Published

on

O Ministério da Administração Pública, Trabalho e Segurança Social (MAPTSS) tornou público esta sexta-feira, 24, que tem reunido com as entidades representativas dos empregadores para auscultá-los sobre a fixação do salário mínimo nacional.

Segundo comunicado do MAPTSS, os encontros decorreram nos dias 16 e 23 de Maio, na véspera da antecâmara da realização do Conselho Nacional de Concertação Social.

Aquele departamento ministerial confirma que participaram dos encontros, representantes da Associação de Empresas de Comércio e Distribuição Moderna de Angola (ECODIMA), Associação de Pesca Artesanal, Semi-Industrial e Industrial deLuanda (APASIL), Federação das Mulheres Empreendedoras de Angola (FMEA), Associação Agro-Pecúaria de Angola (AAPA), Federação Nacional dasCooperativas Pecuária de Angola (FENACOOPA), Grupo Técnico Empresarial (GTE), Associação dos Transportadores Rodoviários de Mercadorias de Angola (ATROMA), Associação das Indústrias de Bebidas de Angola (AIBA) e a Associação Industrial de Angola (AIA).

“Os contactos com as centrais sindicais continuam”, informa o MAPTSS, e apela a “todos os trabalhadores a manterem a serenidade e a confiança no desfecho favorável deste processo”, destaca, o comunicado, sem entretanto, avançar se já alcançaram consenso com as centrais sindicais.

Recordar que ao final da segunda fase da greve geral, as centrais sindicais prometeram voltar a cruzar os braços, no próximo mês de Junho, para a terceira fase, caso não se verifiquem avanços nas negociações com o governo.

 “Se não houver avanços por parte do Governo, o país vai registar uma terceira fase da greve geral no próximo mês (Junho)”, garantiram, no início de Maio.

Mais informações nos jornais da Rádio Correio da Kianda, às 13h e às 19 horas, em 103.7 FM.