Connect with us

Sociedade

EUA: Casa Branca acredita angolana Hariana Verás como única jornalista africana com ‘Hard Pass’

Published

on

O gabinete de imprensa da Casa Branca, EUA, entregou, neste sábado, 13, à jornalista angolana Hariana Verás e a sua equipa, composta por mais dois angolanos, os ‘Hard Pass’, para os permitir acesso ilimitado à casa mais vigiada do mundo.

Durante três anos, a equipa de angolanos, liderada pela jornalista Hariana Verás, passou por um período de avaliação pelo gabinete de imprensa da Casa Branca, que culminou com uma segunda avaliação dos Serviços Secretos americanos, tendo os mesmos determinados nesta semana, que a jornalista e a sua equipa se qualificam para a obtenção dos ‘Hard Pass’ que dá acesso às Casa Branca, noticiou o Jornal de Angola na sua edição de domingo.

“Para nós é um voto de confiança que nos foi dado e ao mesmo tempo um reconhecimento do nosso profissionalismo nos últimos três anos”.

Um ‘Hard Pass’ permite ao jornalista acreditado na Casa Branca ter um maior acesso à casa mais controlada do mundo sem a companhia de um escolta, e funciona como uma chave de acesso directo à Casa Branca, a qualquer dia e hora, e permite ao jornalista o acesso à área reservada para a imprensa e uma livre circulação dentro da Casa Branca sem ser acompanhado por um escolta.

É de realçar que a equipa de angolanos acreditados na Casa Branca é a única jornalista africana neste momento com este privilégio e que também tem acesso directo ao Pentágono e ao Senado americano.

Para a jornalista angolana, estes acessos trazem consigo uma grande responsabilidade e exigirá que a equipa trabalhe de forma mais comprometida para levar a informação sobre decisões da Administração Americana aos africanos, em primeira mão.

“Nos últimos três anos temos sido a voz dos africanos na Casa Branca, no Senado e no Pentágono. Temos feito de tudo para levar as preocupações e os assuntos que inquietam os países africanos ao mais alto nível da Administração Americana. Há três anos que estamos na Casa Branca, temos sido os únicos a questionar a Administração americana sobre assuntos de interesse para os africanos. Queremos que mais jornalistas africanos tenham este acesso e vamos trabalhar para que isso aconteça”, referiu citada pelo diário angolano.

Hariana Verás considera, no entanto, a nova Administração da Casa Branca “mais flexibilidade em trabalhar com os jornalistas e isso vai, certamente, permitir-nos fazer um melhor trabalho”, acrescentou a jornalista.

Recentemente, Hariana Verás foi, igualmente, aceite como membro de uma das mais prestigiadas associações de jornalistas americanos – a Associação dos Correspondentes da Casa Branca.”

Quem é Hariana Verás

Jornalista angolana, residente há mais de dez anos em Washington DC, é a correspondente da Televisão Pública de Angola (TPA) nos Estados Unidos da América, sendo também a correspondente permanente para órgãos de vários países africanos e da rádio francesa RFI, na Casa Branca.

Natural de Malange, Hariana iniciou a sua carreira no jornalismo, aos 18 anos, como repórter no jornal Folha 8, tendo passado também pelo Angolense, antes de trabalhar para a Orion.

Em 2005 viajou aos Estados Unidos da América para entrevistar a então Embaixadora de Angola naquele país, para um documentário sobre mulheres com cargo de chefia, tendo no ano seguinte recebido o convite para trabalhar como Assistente de Imprensa na Embaixada Angolana, função que exerce até ao momento.

Tem formação média de Jornalismo pelo Instituto Médio de Economia de Luanda (IMEL) e superior em Comunicação Social.

Fez ainda formação em produção televisiva nos EUA e técnicas de Locução e apresentação no Brasil.

Do curriculum da Hariana Salete Domingos da Silva Verás Victoria consta ainda um estágio no canal Telemundo.