Connect with us

Sociedade

“Estruturas do país não estão preparadas para receber fenómenos naturais”

Published

on

O tremor de terra que se registou em quatro províncias do país deve servir como alerta ao governo, no sentido de potencializar o serviço de meteorologia do país.

A afirmação é do especialista em questões ambientais Silvano Levi, quando falava esta quinta-feira, 06, sobre as causas e consequências dos sismos em Angola, tendo advogado, igualmente, a aposta na formação de quadros ligados à geologia e outras ciências.

Para o especialista em administração pública Denílson Duro, as estruturas do país não estão preparadas para receber os fenómenos naturais, e defende maior acção dos Serviços de Protecção Civil e Bombeiros e INAMET, para fazer face aos fenómenos naturais cíclicos que ocorrem no país.

E a porta-voz dos Serviços de Protecção Civil e Bombeiros na Huíla, Teresa Abel, garantiu hoje que o sismo registado ontem em diferentes municípios daquela parcela do país não causou danos.

Teresa Abel acrescenta que depois do ocorrido, foi criada uma equipa multissectorial que concluiu não haver razões para o alarmismo e sublinha que os edifícios não apresentam nenhuma anomalia.

A Divisão de Geofísica do Instituto Nacional de Meteorologia e Geofísica (INAMET) confirmou o registo de um sismo de magnitude 5.4 na escala Richter, classe Moderado, nas estações sísmicas da rede nacional esta quarta-feira, 05.

De acordo com o órgão, o epicentro foi detectado aproximadamente 142 km da cidade de Namibe, com tremores a se fazerem sentir em Benguela, Huambo, Namibe e Bié.

Ouça os comentários no Jornal da Noite, da Rádio Correio da Kianda. 

INAMET confirma abalo sísmico de 5.4 no Sul do país

Formado em radiojornalismo, com passagem por órgãos de comunicação social públicos e privados. Possui formação internacional em Comunicação e Multimedia. Estudante do curso superior de Gestão/Comunicação e Marketing.