Connect with us

Politica

“Estratégias de desenvolvimento materializam processos de industrialização em África”

Published

on

O ministro da Indústria e Comércio, Víctor Fernandes, disse, nesta segunda-feira, 21, em Viena, Áustria, que as principais estratégias e planos de desenvolvimento do continente africano têm permitido materializar o processo de industrialização em África, com ajuda de parceiros internacionais de cooperação.

Víctor Fernandes discursava na 50ª sessão do Conselho de Desenvolvimento Industrial, que decorre em Viena. Outro factor, que segundo o governante angolano tem prestado contributo, é  a Estratégia de Desenvolvimento Industrial Acelerado para a África, o Plano Estratégico Indicativo para o Desenvolvimento Regional da SADC, e a Estratégia e Roteiro da Industrialização da SADC 2015 – 2063, todos, constantes da Agenda pós-2063.

“Verificamos  que há um reconhecimento generalizado do sucesso do Programa de Parceria com os Países (PCPs), que teve como beneficiários alguns países do continente africano tendo”, disse, acrescentando que este processo foi replicado para países da américa latina, o que reforça o desenvolvimento industrial inclusivo e sustentável para a prossecução do objectivo 9, que espelha a construção de infraestruturas resilientes e promoção da inovação na prossecução dos objectivos da Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável, e cria uma interface de fortalecimento ancorado com a aspiração 1 da Agenda 2063 sobre “a África que queremos” e defende uma “África próspera baseada no crescimento inclusivo e desenvolvimento sustentável”.

Disse ainda que o PDIA 2025 visa fomentar o desenvolvimento da Indústria Transformadora Angolana, de forma competitiva e sustentável, por assentar numa visão de médio e de longo prazo para a indústria de Angola, que passa pela transformação estrutural do sector, baseada num desenvolvimento progressivamente mais integrado das cadeias produtivas, combinando investimentos-chave que permitam utilizar os recursos em que Angola dispõe de vantagens comparativas, com investimentos em subsectores em que seja possível ir criando vantagens competitivas.