Connect with us

Politica

Estado angolano recuperou mais de 200 activos desde 2019

Published

on

O Estado angolano recuperou um total de 213 bens, de 2019 a 2023, no âmbito do Programa de Recuperação de Activos e Participações do Estado.

Na lista divulgada esta segunda-feira, 17, pelo Serviço Nacional de Recuperação de Activos (SNRA) da Procuradoria Geral da República, no seu site, mostra diversos bens patrimoniais e financeiros que foram recuperados.

Mais de 50 hotéis, com destaque para as redes IKA e IU, condomínios residenciais, escritórios, unidades industriais, vivendas, edifícios e apartamentos habitacionais, agências de comunicação, estabelecimentos comerciais, centro de hemodiálise, terminais portuários, órgãos de comunicação social, entre outros, preenchem a lista.

Desta lista, o Ministério das Finanças aparece como o principal beneficiário, com mais de 60% dos bens, seguido do Banco Nacional de Angola, Instituto Nacional do Património do Estado, Instituto Nacional de Segurança Social, ministros dos Transportes, da Saúde, dos Recursos Minerais Petróleo e Gas e das Telecomunicações Tecnologias de Informação e comunicação Social.

Além dos bens apreendidos no país, em quase todas as províncias, há também activos recuperados no estrangeiro, com o Brasil e Portugal a se destacarem.

Em termos cronológicos, 2023 é o ano em que mais activos foram recuperados, com um total de 96. Em 2022, o número de activos recuperados foi de 21, sendo o menor número. Em 2020 foram recuperados 36 e em 2019, ano do início, foram recuperados a favor do Estado um total de 40 activos e participações.

Em 2021, de acordo com a lista, nenhum bem patrimonial ou financeiro foi recuperado pelas autoridades angolanas. Entretanto, na referida lista existem activos cujo o processo de recuperação ainda não terminou, estando ainda a decorrer.