Connect with us

Economia

Entrada de turistas no país em queda desde 2016

Published

on

Um relatório do extinto Ministério da Cultura e Turismo revela que o país regista uma queda acentuada, desde 2016, no que a recepção de turistas diz respeito, com os números a caírem de 397 mil para 92.970 turistas em 2023.

Os 397 mil turistas que Angola recebeu em 2016, geraram uma receita de 628 milhões de dólares americanos, tendo significado uma contribuição no PIB nacional de 1,3%.

No ano seguinte, 2017, os registos daquele departamento ministerial indicaram a entrada de 261 mil turistas. Entretanto, em termos de receitas, o volume superou as arrecadadas em 2016, pois os valores ficaram situados em 884 mil dólares americanos, igualando a contribuição no PIB nacional de 1.3%.

Nos anos de 2018 e 2019, o país recebeu 218 mil turistas. Em receita, em 2018 foram arrecadados 557 milhões de dólares, ao passo que em 2019 as receitas ficaram situadas em 395 milhões de dólares.

Em 2020 e 2021 os números caíram para abaixo da metade. Um total de 64 mil turistas foram registados nos dois anos. As receitas foram de 19 milhões e 22 milhões e 500 mil dólares, em 2020 e 2021, respectivamente.

Em 2022, ano do quinto pleito eleitoral em Angola, o país registou uma subida de mais de 50% em relação ao ano anterior, com os dados a indicarem a recepção de 129.733 turistas estrangeiros, resultando numa receita de 24 milhões de dólares americanos.

No ano passado, de acordo com o referido relatório, constante do Plano Nacional de Fomento ao Turismo 2024-2027, os turistas que visitam Angola foram um total de 92.970, rendendo à economia nacional cerca de 21 milhões de dólares americanos.

Sobre a proveniência desses turistas, o documento em posse do Correio da Kianda, apresenta apenas dados dos últimos seis anos (2018-2013). O continente europeu é que tem mandado maior número de turistas no país, seguido de África. Em 2018 um total de 105.692 europeus entraram em Angola, quando em 2023, os números do MINCULTUR revelam que vieram 48.865 turistas do velho continente.

De África, a segunda maior proveniência, os registos do governo apontam para 34.699 em 2018 e 20.031 turistas de países africanos em 2023. Do continente americano vieram, em 2018, 37.751 turistas, 18.751 em 2022 e 9.065 no ano passado.

Os números de turistas vindos do médio oriente mantiveram-se em oscilações anuais. As únicas quedas nos registos de turistas daquela parcela planetária foram registados em 2020 (1.583) e 2021 (2.729), pois em 2018 os registos indicaram a entrada de 3.380 cidadãos do oriente médio, ao passo que em 2023, os dados indicam 3.786 turistas. Menos mil quando comparados com os 4.761 de 2022.

Da Austrália vieram em 2018, 784 turistas e em 2023, foram 178 australianos que visitaram Angola com vistos de turista.

Os 10 países de que mais se emitiram vistos de Turismo para Angola no período em análise são liderados por Portugal com 46,3%, Brasil com 10,2% e China com 8,9%. O referido relatório revela que a queda de entrada de turistas nos últimos anos é global, desde a pandemia da covid-19.

Citando dados da Organização Mundial do Turismo, o documento que temos vindo a citar revela que a contribuição do turismo no PIB mundial caiu de USD 3,3 triliões para USD 2,5 triliões, ou seja, uma queda de 24% entre 2019 e 2022. Em 2019, a contribuição directa do turismo no PIB mundial, era equivalente a 4%.

Em África, países como a África do Sul, Cabo Verde, Moçambique, Namíbia, Quénia, Botswana e Zâmbia, com características turísticas de Angola, também registaram queda na recepção de turistas no período em referência.