Connect with us

Economia

ENDIAMA arrecadou USD dois mil milhões em 2022

Published

on

A Empresa Nacional de Diamantes (ENDIAMA), arrecadou, no ano passado, mais de dois mil milhões de dólares americanos, durante o exercício económico de 2022.

O anúncio foi feito pelo Presidente do Conselho de Administração da empresa, José Manuel Ganga, no final da visita que o Instituto de Gestão de Activos e Participação do Estado (IGAPE) à instituição, na última quinta-feira, em Luanda.

A visita de técnicos seniores do IGAPE, serviu para uma análise à gestão, funcionamento e desempenho da Empresa Nacional de Diamantes de Angola.

José Manuel Ganga Júnior considerou de positivos, os resultados financeiros obtidos pela empresa no ano passado, com um um volume de facturação de cerca de dois mil milhões de dólares americanos durante o ano de 2022.

Relativamente à implementação da bolsa de diamantes, o gestor fez saber que o processo está em curso, podendo iniciar o seu funcionamento provisório ainda em 2023.

Por seu turno, Raimundo Santa Rosa, Administrador do IGAPE, revelou que as contas da ENDIAMA têm vindo a melhorar comparativamente a exercícios anteriores, havendo uma forte possibilidade de a diamantífera fechar o ano sem reservas.

Sobre a privatização de empresas estratégicas como a Sonangol e da ENDIAMA, Raimundo Santa Rosa, disse que decorre no momento a preparação do processo, e a ENDIAMA precisa antes ultrapassar alguns desafios, como definição e separação do seu core business, bem como como a consolidação das suas contas, tendo em conta que a diamantífera tem diversas subsidiárias, com actividades fora do sector diamantífero.

Sobre a visita, o PCA do IGAPE disse que a ENDIAMA tem todas as suas contas nos conformes, estando melhor comparativamente aos anos anteriores.

Entretanto, disse que nas contas da empresa foram identificadas algumas “zonas cinzentas entre as empresas de concepção e prospecção” relacionadas com a reconhecimento e classificação de certas contas que ainda carecem de confirmação, processo que considerou de normal, em contabilidade e auditoria de contas.

Raimundo Santa Rosa mostrou-se esperançoso de que a ENDIAMA venha a fechar o exercício económico 2023 sem dívidas nas suas contas.