Connect with us

Economia

Empresários turcos escalam Luanda para constatar oportunidades apresentadas por João Lourenço

Published

on

Uma semana depois de o Presidente da República, João Lourenço, ter estado na Turquia em busca de potenciais investidores para Angola, uma delegação de empresários turcos escalou nesta terça-feira, em Luanda, para uma visita de constatação, em resposta ao convite deixado pelo Chefe de Estado àquele país euroasiático.

Na bagagem, os empresários turcos trouxeram a intensão de investir em Angola, nos domínios da indústria e da agricultura, bem como nos transportes, com a construção de um terminal logístico para permitir o transporte de produtos dentro e de fora do país.

O CEO do grupo empresarial BGN, Ruya Bayegan, que falava à imprensa a saída da reunião com o presidente do Conselho de Administração da Agência de Investimento Privado e Promoção das Exportações (AIPEX), referiu que depois de se instalarem no país, pretendem, na segunda fase do seu investimento, construir uma fábrica de fertilizantes para ajudar na produção alimentar, e na oferta de fertilizantes e de alimentos em Angola.

Depois disso, avançou o empresário turco, pretendem também construir um hotel e um centro de conferência com vista a aumentar o interesse de mais investidores estrangeiros.

Em relação as oportunidades e ambiente de negócio encontradas em Angola, Buya Bayegan disse que a visita de constatação que fizeram durante o dia superou as espectativas, tendo manifestado o interesse em viajar mais vezes para Angola.

Ainda sobre as áreas de investimento, o CEO do grupo BGN disse que com ajuda da AIPEX vão agora estudar outras áreas de possíveis necessidade de investimentos, e esperam que tão logo remetam o pedido formal para a manifestação de interesses possam receber, no mais breve espaço de tempo, as respostas das autoridades angolanas.

Petróleo e gás são outras áreas em que os empresários da Turquia, pensam investir no país, apesar de não ter avançado o volume global de negócios que pretendem numa primeira fase, tendo referido apenas tratar-se de um valor significativo.

Já o Presidente do Conselho de Administração da Agência de Investimento Privado e Promoção das Exportações, António Henriques da Silva, disse que a vinda dos empresários da Turquia resulta da visita do Chefe de Estado àquele país euroasiático e demonstra o interesse em Investir em Angola.

“Nós aguardamos com entusiamos a entrega da sua manifestação de interesse e esperamos que ela se concretize, porque é importante que se concretizem essas intenções vindas de grupos com a dimensão dos dois grupos que estão a visitar-nos sejam materializadas em sinal da reabertura que o nosso mercado passa a ter e oportunidades que nós sabemos Angola tem inúmeras”, disse.

António Henriques da Silva disse ser importante a concretização dos primeiros passos de investimentos manifestado pelos empresários da Turquia.

A prioridade dos projectos apresentados, segundo o PCA da AIPEX, estão alinhados com os projectos estruturantes definidos pelo governo angolano como sendo prioritários, com destaque para o terminal transoceânico da Barra do Dande, as plataformas logísticas e da fabrica de fertilizantes.

“Obviamente isso tem de ser analisado ao maior detalhe, é o que a AIPEX vai apoiar que assim aconteça, dentro dos prazos apresentados pelos Investidores e dentro das prioridades que temos enquanto país”, finalizou.

Tratam-se dos grupos empresárias BGN, Summa e da Carbon Holdings, cujos responsáveis máximos escalaram Luanda, nas primeiras horas desta terça-feira. O itinerário de visitas da delegação turca constou o Ministério da Economia e Planeamento, onde foram recebidos por Sérgio Santos, titular da pasta ministerial, bem como no Ministério dos Transportes, onde foram recebidos em audiência pelo Secretário de Estado da Aviação Civil, Marítimo e Portuário, Carlos Borges.

Antes da reunião na AIPEX a delegação de empresários da Turquia esteve na Zona Económica Especial Luanda Bengo, no município de Viana, onde foi recebida pelo conselho de Administração e levado em visita guiada a conhecer a infra-estrutura.

A delegação esteve composta pelo CEO do grupo BGN, Fevziye Ruya Bayegan, que a chefiou, pelo Presidente do grupo SUMMA, Selim Bora, ainda pelo CEO da Carbon Holdings, Basil Osama, além de outros responsáveis das empresas. A viagem de retorno da delegação de empresários da Turquia está prevista para esta quarta-feira, 11.

Sobre as empresas

A SUMMA é uma empresa fundada em 1989 e esta sedeada em Ankara, Turquia e está presente em mais de 14 países actuando com 2.500 funcionários em quatro continentes, em sectores que variam da construção à energia.

Com forte presença nos sectores das operações e logística, comércio global, energia e finanças, o grupo BGN é detentor do maior pólo logístico da europa, em Rotterdam, um centro financeiro e logístico global, na Singapura, bem como dos maiores centros financeiros do mundo, situados em Londres e Genebra. Do seu portfólio consta ainda 250 profissionais distribuídos em 25 escritórios a nível do mundo.

Continue Reading
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Advertisement

Colunistas

Daniel Sapateiro
Daniel Sapateiro (17)

Economista e Docente Universitário

Ladislau Neves Francisco
Ladislau Neves Francisco (25)

Politólogo - Comunicólogo - Msc. Finanças

Olivio N'kilumbo
Olivio N'kilumbo (21)

Politólogo

Vasco da Gama
Vasco da Gama (89)

Jornalista

Walter Ferreira
Walter Ferreira (21)

Coordenador da Plataforma Juvenil para a Cidadania