Connect with us

Politica

“Em Angola o que mudou neste momento é apenas o Presidente e mais nada” – Raul Danda

Published

on

O vice-Presidente da UNITA, Raul Danda, considerou, na última sexta-feira em luanda, que até agora nada mudou no País, e o seu partido UNITA, é a mais estável de Angola. Estas palavras foram proferidas, num dos programas da rádio despertar, ligada ao seu partido.
“Mudou o Presidente. Portanto, primeiro era José Eduardo dos Santos, agora é João Lourenço. Se me perguntar em termos daquilo que é o andamento do país, devo dizer com toda franqueza que eu não vejo, sustentou o Vice-presidente da UNITA no programa Hora das perguntas da Rádio Despertar.

Os argumentos de Raul Danda sobre a avaliação do seu partido, é o desempenho da UNITA no parlamento, que segundo o número 2 da maior força política do País, considera de positiva.

“Eu estou convicto de que o Grupo Parlamentar da UNITA tem estado a bater-se extremamente bem. Portanto, nós quando estamos no Parlamento e quando estamos fora do Parlamento, mostramos de facto que somos um grupo que sabe o que vai fazer e sabe como vai fazer as coisas. É verdade que, enquanto nós tivermos um Parlamento, que se comporta como uma extensão de partidos políticos, e isso, mais no caso, devo dizê-lo, do Partido maioritário, é um bocadinho Complicado”, avançou!

Entre outras questões, Raul Danda falou do combate a corrupção, e da Abertura na comunicação social, tendo este último considerado por Raul Danda como sendo o que mais progrediu, dada a sua abertura nos órgãos públicos.

Questionado se alguma coisa mudou em consequência das últimas eleições, Raul Danda respondeu, apontando o actual chefe de estado, de ser uma pessoa incoerente, por ter usado meios do estado, durante a sua campanha eleitoral.

“Nós tivemos um Presidente que na pré-campanha eleitoral foi fazendo promessas eleitorais, falava de transparência, mas a sua campanha eleitoral foi mancha com corrupção eleitoral nos termos daquilo que está na lei eleitoral sobre as eleições gerais. Está lá bem claro, porque o então Ministro da Defesa, João Lourenço que era Candidato do MPLA, andava pelo país utilizando recursos do país, para comprar motorizadas, autocarros, e estas outras coisas para ir oferecendo, ele como candidato não tinha dinheiro para oferecer estas coisas, eram recursos do país”, apontou.