Connect with us

Mundo

Egipto: condenados a morte nove cidadãos acusados de liderar grupo terrorista

Published

on

Foram condenados a morte por enforcamento, por um tribunal Egípcio, nove pessoas acusadas de liderar um grupo terrorista, financiar o terrorismo e receber formação militar”, num caso em que não é divulgado o nome dos 43 acusados.

A condenação, de acordo com a sentença noticiada pela agência espanhola de notícias Efe, na qual se assinala que os condenados formam parte de um grupo conhecido na imprensa por Guardas Revolucionários, acusados de dirigirem um grupo terrorista, tendo sido condenados por financiamento do terrorismo, treino militar, suborno de funcionários públicos, desvio de fundos e falsificação de documentos oficiais.

A identidade dos condenados ou o alegado grupo a que pertencem não foi divulgada, aponta a Efe.

Desde que o presidente egípcio, Abdelfatah al-Sisi, chegou ao poder, em 2013, as autoridades têm reprimido duramente os membros do grupo islamita Irmandade Muçulmana.

A perseguição aos islamitas começou após a subida ao poder de al-Sisi, que foi ministro da Defesa no Governo da Irmandade Muçulmana, de Mohamed Mursi, e acabou por engendrar um golpe de Estado em 2013.