Connect with us

Sociedade

Educação no Cuando Cubango reforçada com mais de 500 professores

Published

on

Um total de 558 novos professores foram admitidos para reforçar o sector da Educação na província do Cuando Cubango, atravês do enquadramento de candidatos que tiveram notas positivas no último concurso público de ingresso realizado, pelo Ministério da Educação no mês passado.

O director do Gabinete Provincial da Educação, Inácio Samba, explicou que os referidos candidatos conseguiram notas positivas nos testes de admissão, mas, por insuficiência de vagas, não tinham sido enquadrados.

Pelo menos 513 dos 558 candidatos vão ser enquadrados de forma automática no sistema de pagamento de salários, a partir do próximo mês. Trata-se de professores do ensino primário e secundário do 13.º grau e outros 45 do ensino primário e secundário do 6.º grau.

Inácio Samba anunciou que, amanhã, vão ser publicadas as listas provisórias e, entre 19 e 23 de Julho, a comissão responsável encarregue de receber eventuais reclamações terá cinco dias para atender esses casos.

De 10 a 20 do mês de Agosto, será feita a classificação final, assinatura dos contratos, títulos e despachos para provimento das vagas.

O director provincial revelou que, no concurso público de ingresso 2021/2022, foram apurados, na primeira fase, 452 candidatos dos 4.715 inscritos, cuja homologação, que está a ser feita por uma equipa do Ministério da Educação que se encontra na região para o efeito, terminou sexta-feira.

A província do Cuando Cubango está a ser contemplada com um total de 1.010 novos profissionais do sector da Educação, que serão distribuídos nos municípios de Menongue, Calai, Cuangar, Cuchi, Cuito Cuanavale, Dirico, Mavinga, Nancova e Rivungo.

Quanto aos professores admitidos na segunda fase, disse que estes serão enquadrados, maioritariamente, nos municípios do interior da província, por apresentarem mais necessidades em relação à capital (Menongue), sobretudo, nas disciplinas de Língua Portuguesa, Língua Inglesa, Matemática, Biologia, Geografia, Pedagogia e Psicologia.

Com o ingresso destes novos profissionais, a província passa a contar com 6.095 professores, um número que Inácio Samba considera irrisório face às necessidades do sector, que controla 274 escolas e um total de 739 salas de aula.