Connect with us

A voz do Cidadão

Dr. Sérgio Luther Rescova: indigestão pela sua prematura morte

Redação

Published

on

A morte, mais do que um acontecimento triste, é uma certeza provada a todos os títulos (ciência e religião) Quando ela ocorre ou antes mesmo da sua ocorrência ninguém tem a mínimo ideia de que tal possa vir a ter lugar e quem venha a ser o próximo feliz contemplado.

A existência do homem, desde os primórdios da humanidade, fez-se sempre acompanhar com esse facto-morte. Verdade se diga que ninguém está preparado para viver ou assistir a sua manifestação. Ora, são as circunstâncias de determinadas mortes que nos convidam a indagação-entre estas por doença- atendendo ao tipo de patologia e o grau de gravidade ou não.

Movido pela prematura morte do Dr. Sérgio Luther Rescova, sem desprimor a qualquer outro cidadão nacional também falecido por circunstâncias de doença, com a devida vénia e respeito à família enlutada, solto a seguinte indigestão:

1. Faleceu o cidadão Sérgio Luther Rescova, mas o país perdeu um Governador em pleno exercício de funções, um jurista e Professor universitário.

2. A morte do Dr. Rescova aos 40 anos, ainda jovem na flor da idade, é daqueles tipos de cirurgia na unha, sem qualquer anestesia. Morre também uma porção de Angola.

3. Qualquer jovem ou “mais velho” que vinha acompanhando o percurso político-social do Dr. Rescova já tinha a mínima ideia da dimensão do desafio geracional de que os jovens passaram a ser chamados a assumir.

4. Este país é enorme demais para perder os poucos jovens com qualificações que ainda possui. E o Dr. Rescova, infelizmente passa a integrar a estatística daqueles jovens irreverentes com que Angola não pode mais contar (lágrimas); desculpem-me pela emoção!

5. Morre um jovem Governador que ainda tinha muito litro a emprestar à sua terra natal. É um facto bastante sério. Cuja gravidade, noutras geografias, levar-nos-ai à meditação e maior reflexão nacional. No Uíge, não sei como é que a população( governados) está a digerir este facto político. Mas presumo que deve ter gerado um “estorvo social”, pois não são muitas vezes que tal facto sucede.

6. Morre um Jurista, Professor e consigo vão muitas ideias. As ideias, parte do património imaterial, construídas por esforço de abstração individual, não enxertadas e sim geradas, produzidas pelo “intus legere”, são dos maiores patrimónios/investimentos que uma nação não deve perder. Basta olharmos para o conjunto do acervo cultural legado da Fia e antiguidade grego-romana até aos nossos dias… A Academia perdeu um potencial e futuro expoente de ideias… Pesa muito!

7. No coro político à moda actual, Dr Rescova deixa uma polis, que já se vinha metamorfoseado à guisa da reconciliação nacional, mais diversificada. Como jovem, que cedo começou a partilhar os “Corredores do aprovado na generalidade/na especialidade” ao lado de políticos mais “acirrados” da nossa sociedade, terá de certeza absorvido as melhores lições do conceito de “Interesse nacional” cujo apetite do seu “modus faciendi” o elevou à nomeação para Governador.

8. Como líder juvenil, independentemente da opção político-partidária ( sensacionalismos a parte ); Dr. Rescova, ao lado de jovens de outras filiações partidárias, foi reflexivo na forma audaz como perfilhava a orientação dos jovens para o assumir dos desafios etários com resiliência. Assaz vezes, mesmo com a sua ainda mocidade, via-se-lhe empenhado com a mão direita sempre acenada para cima, cujo viva Angola traduzia o sentido dos gestos constantes em direcção ao céu. Coincidência ou não, é neste Céu onde doravante repousa!

9. Pouco nos cabe dizer sobre o trato familiar. Mas advinho ter sido um “leme” para os seus.

10. Nenhum jovem, mesmo os menos conscientes, perderia o sentido de comoção pelo fatídico acontecimento. Os sentimentos condoídos que muitos manifestam através das várias plataformas digitais ilustram bem esta solidariedade de jovens para jovens. Espera-se que a recíproca seja sim verdadeira. Que legado fica para os jovens? Dr. Rescova fez a sua parte e deixou um excerto de Angola arrumado. Mas relega também outros tantos desafios sobre o peito da juventude angola na sua generalidade. Cuidemos e dignifiquemos o seu legado!

11. Que a sua alma descanse em paz . Repouse Camarada! Repouse Camarada! Repouse Camarada!

Por: Hilário Mosse

Continue Reading
Advertisement
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Advertisement

Colunistas

Ladislau Neves Francisco
Ladislau Neves Francisco (23)

Politólogo - Comunicólogo - Msc. Finanças

Olivio N'kilumbo
Olivio N'kilumbo (21)

Politólogo

Vasco da Gama
Vasco da Gama (77)

Jornalista

Walter Ferreira
Walter Ferreira (15)

Coordenador da Plataforma Juvenil para a Cidadania

© 2017 - 2020 Todos os direitos reservados a Correio Kianda. | Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização.
Ficha Técnica - Estatuto Editorial RGPD