Connect with us

Mundo

Dois dias após cimeira M23 continua a ocupar aldeias no Leste da RDC

Published

on

Dois dias após a Cimeira Extraordinária da Comunidade de Desenvolvimento da África Austral (SADC), em Luanda, os rebeldes do M23 continuam a ocupar as aldeias no território de Masisi (Kivu do Norte) – Leste da República Democrática do Congo.

A imprensa local destaca que desde domingo, 05, os rebeldes “com o apoio do exército ruandês, sitiaram as aldeias de Nyakabingu, Kabalekasha, Burungu e Rushebeshe, após combates com as milícias locais”.

Entretanto, enquanto se observa um cessar-fogo em Masisi, o M23 atacou os milicianos em Kibumba e Buhumba, território de Nyiragongo, na manhã desta segunda-feira, 06, destacam os jornais locais.

A preocupação com a deterioração da situação de segurança e humanitária no Leste da República Democrática do Congo e com os relatos de retoma dos ataques e ocupação de zonas na região pelo M23, numa clara violação do cessar-fogo orientado no “Roteiro de Luanda”, consta no comunicado final da Cimeira Extraordinária da SADC, que ocorreu este sábado, em Luanda.

O documento conferiu mandato ao Presidente em Exercício da SADC, João Lourenço, para, “coadjuvado pela Troika do Órgão, intensificar os esforços diplomáticos entre a RDC e o Ruanda com vista à consecução de uma paz duradoura” naquele país vizinho.

Os Chefes de Estado reunidos este sábado forneceram, igualmente, orientação estratégica sobre o “envio da Missão da SADC na RDC com o objectivo de restaurar a paz e a segurança no país”.