Connect with us

Opinião

Diz-me com quem andas, e dir-ti-ei quem tu és…

Ana Margoso

Published

on

O Presidente Angolano, João Lourenço, deslocou-se recentemente a Rússia, a convite do seu homólogo russo, Vladimir Putin, segundo noticiou a imprensa Angolana.

Segundo estes, a visita, serviu igualmente, para a condecoração com a medalha Agostinho Neto a Putin, bem como um jantar entre os empresários dos dois países.

Ao que tudo indica, Angola e Rússia têm em vista aprofundar ainda mais as relações de “fraternidade” que une os dois países há mais de 40 anos.
Se do ponto de vista diplomático, e económico é uma boa notícia, tendo em conta que este país está a viver um bom momento em termos económicos, a nível político as coisas não são bem assim.

A Rússia, segundo dados do Banco Mundial e do próprio Fundo Monetário Internacional, tende a crescer 1, 8 por cento até 2020, ultrapassando desta fotma as economias mais pujantes da Europa, como à Alemanha e o Reino Unido.

O aumento do preço do Petróleo no mercado internacional, e mesmo contra as sanções impostas pelos Estados Unidos, a Rússia poderá ter um crescimento que a tornará a quinta maior economia a nível mundial.

Do ponto de vista político, desde a chegada ao Kremlin de Vladimir Putin, que Moscovo tem sido apontado pelas várias organizações que velam pelos direitos humanos como um país onde os direitos das pessoas não são respeitados.

Os pecados apontados a Putin são horrendos, desde assassinatos, perseguição contra gays, contra opositores, bem como crimes de contaminação com produtos químicos de muitos dos ex-agentes do KGB.

Putin, um ex-coronel do então serviço secreto russo, que terá chegado ao poder através de influências junto da filha do ex-presidente Boris Yeltin, é um saudosista do império soviético.

As intervenções em países como a Ucrânia,Síria, e podendo agora aparecer novamente como.protagonista no braço de ferro na Venezuela, estão a ser vistos como ensaios de um projecto maior, que poderá elevar a ex-URSS a um patamar desejado por Vladimir.

Angola, antigo aliado da Rússia do tempo da guerra fria, parece ver com bons olhos o renascer das cinzas, qual Fenix, do seu antigo mentor.

Continue Reading
Advertisement
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *