Connect with us

Sociedade

Divergências entre sócios deixa mais de duzentos alunos fora do ensino num dos colégios do Bairro Prenda

Published

on

Dezenas de encarregados que matricularam os seus filhos no colégio Filipe Fragata, situado no bairro do Prenda, rua do Posto Médico, 3º largo, foram surpreendidos na manhã desta segunda-feira, 25, ao encontrar as portas da escola encerrada.

Sem qualquer membro de direcção da escola ou funcionário do estabelecimento de ensino para prestar alguma informação, a solução foi lerem os documentos estampados no portão da escola e um manifesto que acusa a actual direcção de dividas de renda por uma das partes dos sócios.

Alfredo Pedro, pai de um dos alunos da 1º classe, mostrou-se triste com a direcção da escola, uma vez que “sempre que há atraso nas propina à direcção da escola liga aos encarregados”, o que esperava que fizessem o mesmo nesta condição, para evitar transtornos nas crianças e na deslocação dos pais.

“Não compreendo está confusão, uma vez que a direcção tem os números dos encarregados. Isto torna-se ainda mais revoltante uma vez que os preços das propinas e matrículas subiram este ano”.

“Não compreendo esta atitude do Félix Matias Neto, director da escola, uma vez que tem os números dos encarregados. Isto torna-se ainda mais revoltante uma vez que os preços das propinas e matrículas subiram este ano”

Os preços das inscrições no Colégio, vai dos 6 mil á 10 mil kwanzas, e agora que os encarregados vêm o ano lectivo dos seus filhos ameaçados, pedem a intervenção das autoridades.

Colunistas