Connect with us

Sociedade

Director do hospital de Catete acusado de gestão danosa e abuso de confiança

Published

on

Com apenas um ano de mandato à frente da direcção do hospital de Catete, no município do Icolo e Bengo, em Luanda, Renato Nacalumbo Palma Chimbalanga, é acusado de gestão danosa e abuso de confiança, que resultaram num alegado desvio de milhões que o Banco Mundial tem disponibilizado para aquela unidade hospitalar.

Numa denúncia a que o Correio da Kianda teve acesso, os funcionários, médicos e enfermeiros dizem que o actual gestor do hospital hostiliza, nomeia e exonera violando a lei 260/10.

Alguns funcionários, falando ao nosso jornal, revelam que a actual directora de enfermagem, Paula Cristina, foi nomeada, violando o Decreto Presidencial 260/10, que diz que, só pode ser “nomeado ou nomeada director ou directora de enfermagem quem “é licenciado em enfermagem ou bacharel” e, segundo a denúncia, a actual directora apenas é “técnica média de terceira classe (Técnica Administrativa)”, relatam.

“Será que o hospital em questão não tem licenciados em enfermagem ou bacharel? Foi necessário trazer alguém do Josina Machel que nem reúne requisitos para o efeito?”, perguntam.

Médicos e enfermeiros também questionam os destinos insertos que Renato Nacalumbo Palma Chimbalanga tem dado aos valores que o Banco Mundial tem disponibilizado anualmente e dos reforços que a Direcção Municipal da Saúde, assinando notas de recebimento de verbas para reforçar o hospital.

Segundo os mesmos, a falta de material gastável é um outro problema que o hospital enfrenta. A pediatria, diariamente, tem recebido muitas enchentes de pacientes, e os técnicos em serviço trabalham 24 horas, sobrecarregados e usam quatro pares de luvas, razão pela qual os enfermeiros procuram saber o destino das verbas, “para um hospital que recebe apoio do Banco Mundial há mais de três anos, e o centro encontra-se completamente abandonado e sem fornecimento de medicamentos e materiais gastáveis”, dizem.

Os mesmos também acusam o director do hospital de estar a efectuar pagamentos forjados com interesses particulares, justificando que servem para manutenção de equipamentos do laboratório, manutenção de viaturas e outros.

Os desentendimentos entre os funcionários e o director do hospital de Catete, continuam a ganhar corpo, e ter chegado aos ouvidos da administradora municipal local, que de imediato auscultou os “homens das seringas”, segundo os denunciantes de lá para cá, não houve nenhuma solução para mitigar os conflitos, antes pelo contrário, Renato Nacalumbo Palma Chimbalanga arroga-se ser intocável.

“Ele bate-se no peito, que ninguém lhe fará nada, ainda usa o nome do Diretor Provincial da Saúde que é seu amigo”

Antes do fecho desta matéria o Correio da Kianda, tentou contactar via telefónica o director daquela unidade hospitalar Renato Nacalumbo Palma Chimbalanga, mas não tivemos sucesso.

Continue Reading
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Colunistas