Connect with us

Politica

Direcção da FNLA nega crise no seio do partido

Published

on

O antigo secretário-geral da JFNLA, Kiaku Samuel Kiala, desafiou nesta segunda-feira, 13, o presidente dos irmãos a não dar seguimento ao despacho que suspende todas actividades da mocidade da FNLA.

O militante daquela formação política promete “chuva de protestos”, em caso da sua implementação, por entender que viola os estatutos do partido e coloca em causa a legitimidade da actual direcção, supostamente para garantir o segundo mandato de Nimi-a-Simbi em frente do partido.

Kiakuku Kiala considera a medida do líder dos irmãos como uma atitude de ditadura, e mostra-se disposto a defender o partido em honra dos heróis da FNLA.

O Secretário Nacional Adjunto de Informação e porta-voz da FNLA, Kifeta Paiva, considera de infelizes as afirmações dos militantes pela má interpretação do despacho do presidente do partido.

Segundo o político, a suspensão visa dar lugar a realização das assembleias províncias de eleição de novos secretários provinciais da JFNLA, quatro meses depois da eleição do novo secretário geral da mocidade dos irmãos.

Kifeta Paiva disse, por outro lado, que a FNLA é um partido democrático, por isso, os dirigentes ao nível provincial também são eleitos, mas, sublinha, por outro lado, que a JFNLA submete-se a orientação do partido.

Segundo o mesmo, o despacho visa dar cumprimento ao que está estatuído nas normas internas do partido.

Jornalista multimédia com quase 15 anos de carreira, como repórter, locutor e editor, tratando matérias de índole socioeconómico, cultural e político é o único jornalista angolano eleito entre os 100 “Heróis da Informação” do mundo, pela organização Repórteres Sem Fronteira. Licenciado em Direito, na especialidade Jurídico-Forense, foi ainda editor-chefe e Director Geral da Rádio Despertar.