Connect with us

Politica

“Diminuíram casos de corrupção e desvios de fundos públicos no país” – PGR

Published

on

“Há maior consciência na gestão de bens públicos”, disse esta segunda-feira, 10, o Procurador Geral Adjunto da República e Coordenador da Região Norte, João Freitas Coelho, realçando ainda o posicionamento dos gestores, bem como da justiça.

Durante visita a Cabinda, João Freitas Coelho ressaltou, em declarações à RNA, que, actualmente, há uma diminuição de casos de corrupção e desvios do erário público.

“Há menos casos hoje porque as pessoas ganharam consciência que mexer no erário publico não é satisfatório porque a justiça sempre vai cair em cima. Para nós, é um reconforto perceber que as pessoas já entenderam que o dinheiro público não deve ser usado para fins particulares. E cada vez mais temos tido menos processos nessa direcção. Não há reclamações que sirvam de motivo para preocupação”, disse João Freitas.

Angola já recuperou mais de 5,6 mil milhões de dólares, entre 2019 e Setembro de 2022. No que diz respeito à apreensão de bens e valores, as autoridades angolanas arrecadaram cerca de 15 mil milhões de dólares, 6,8 mil milhões em Angola e o restante no exterior.

De recordar que há dois meses o Correio da Kianda publicou que o Presidente da República, João Lourenço, iria retomar em grande as duas grandes bandeiras da sua governação, o combate à corrupção e ao branqueamento de capitais, que segundo a PGR, vem surtindo efeito.

A meta é recuperar os activos que foram constituídos com recursos públicos e que foram ilegalmente transferidos para a propriedade de terceiros, com, recentemente, o Serviço Nacional de Recuperação de Activos voltado a solicitar informações sobre imóveis em condomínios localizados em Luanda, registados em nome de várias empresas.

Combate à corrupção atinge altas figuras do Estado