Connect with us

Economia

Diamantes: Angola quer produzir nove milhões de quilates

Published

on

O país pretende atingir a cifra de nove milhões de quilates de diamantes produzidos, ainda este ano, para contribuir com a diversificação económica. A informação foi avançada pelo Secretário de Estado dos Recursos Minerais, Jânio Correia Victor, quando falava, nesta quarta-feira, em Luanda, na conferência de imprensa que visou lançar a primeira Conferência Internacional sobre Diamantes de Angola, a decorrer de 25 a 27 de Dezembro, em Saurimo, província da Lunda Sul.

O governante justificou a realização da conferência de Dezembro, com o facto de o diamante angolano ser considerado o mineral estratégico para o programa do executivo angolano de diversificação económica em curso e servirá para Angola mostrar ao mundo a qualidade e a cadeia de valor deste minério produzido no país.

O Pólo de Desenvolvimento Diamantífero de Saurimo, na província da Lunda Sul, será o local que vai acolher o evento entre os dias 25 e 27 de Novembro, durante o qual estarão em discussão temas como a investigação geológico-mineira, a exploração de diamantes em Angola, a inovação tecnológica, logística e o financiamento dos projectos diamantíferos.

As Repúblicas Democrática do Congo, Namíbia e Botswana são os países africanos que já confirmaram as suas presenças, além de representantes de multinacionais que colaboram com Angola na exploração, lapidação e comercialização de diamantes.

Espera-se igualmente a participação de países asiáticos e americanos, cujos níveis de produção e potencial de diamantes, são de reconhecimento mundial.

“Muitos já confirmaram, senão a maioria, os outros estão em processo de confirmação, mas o que podemos afirmar neste momento é que a nossa conferência estará recheada de atores tanto a nível nacional como internacional que têm a ver com os diamantes”, referiu o Secretário de Estado dos Recursos Minerais.

A Conferência vai ainda juntar os ministros de minas das principais nações africanas produtoras de diamantes, líderes de empresas diamantíferas, especialistas nacionais e internacionais da indústria, bem como empresários e homens de negócios apostados na estratégia da República de Angola de diversificação, integração e crescimento económico.

O discurso inaugural será proferido pelo Ministro dos Recursos Minerais, Petróleo e Gás, Diamantino de Azevedo, na presença de especialistas e operadores do sector em Angola, entre nacionais e estrangeiros.

Os primeiros registos de diamantes em Angola datam 1590, ao passo que os primeiros cristais classificados como diamantes foram descobertos em 1909.
Em 1912 aumentaram as evidências da existência de diamantes no país, quando dois geólogos ligados à empresa “Forminiére” encontraram sete diamantes na riacho de Mussalala, na Lunda Norte.

Neste mesmo ano, foi criada a Companhia de Pesquisas Mineiras de Angola (PEMA). As primeiras explorações diamantíferas tiveram lugar no rio Chicapa e seus afluentes.
Para a realização do evento o Presidente do Conselho de Administração da Empresa Nacional de Diamantes de Angola (Endiama), José Ganga Júnior, estimou cerca de 300 milões de kwanzas, com responsabilidades repartidas entre as empresas e participantes.

Rio Tinto, Alrosa, Anglo American, são algumas das empresas com as quais o Ministério dos Recursos Minerais, Petróleo e Gás, conta para a realização da primeira Conferência Internacional sobre Diamantes de Angola.

Continue Reading
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Colunistas