Connect with us

Mundo

“Deve ser pela cor da minha pele”, diz primeiro-ministro português a líder do CDS após ser questionado sobre actos de protesto no Bairro da Jamaica

Resposta de primeiro-ministro surgiu quando lhe perguntaram se condenava os ataques a esquadras da polícia e caixotes do lixo.

Published

on

“Deve ser pela cor da minha pele que me pergunta se condeno ou não condeno”, lançou António Costa, exaltado com a pergunta feita pela líder do CDS sobre se o primeiro-ministro condena ou não incidentes como os que têm sido relatados nos últimos dias e que dão conta de ataques a esquadras de polícia e fogo posto a caixotes do lixo e a um autocarro, alegadamente em protesto contra a violência policial no Bairro da Jamaica.

A resposta de António Costa gerou uma pateada geral no plenário, com o presidente da Assembleia da República, Ferro Rodrigues a pedir que esse tipo de discussão não entrasse no debate parlamentar.

“Temos todos de ter calma”, disse Ferro, que fez o apelo não só aos deputados, mas também diretamente ao primeiro-ministro. “Eu nem vou responder ao comentário final porque fiquei com vergonha alheia”, limitou-se a dizer Assunção Cristas quando voltou a ter a palavra.

A líder do CDS tinha mostrado uma série de notícias de jornal sobre os incidentes dos últimos dias, pedindo a António Costa que fosse claro na condenação a estes atos.

Costa já tinha, em resposta a Fernando Negrão, condenado atitudes racistas e defendido que excessos cometidos pela polícia sejam “investigados”, mas frisando que “Portugal é o quarto país mais seguro do mundo” e que os incidentes dos últimos dias não espelham níveis de violência semelhantes aos de te se têm visto noutros países.

 

Fonte: CMJornal

Continue Reading
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *