Connect with us

Economia

Despesas para aquisição de produtos agrícolas ascendem os USD 441 milhões

Published

on

As despesas para aquisição de produtos agrícolas no país ascenderam, no ano passado, os 441 milhões de dólares, de acordo com uma nota sobre aprovação da estratégia de fomento da produção pecuária para reforçar a segurança alimentar, a que o Correio da Kianda teve acesso.

Ainda de acordo com o comunicado, o Governo pretende dar outra dinâmica para a produção e a comercialização de produtos pecuários como carne, leite e ovos, nos próximos três anos, com a implementação do Plano Nacional de Fomento e Desenvolvimento da Pecuária (PLANAPECUÁRIA) aprovado recentemente.

O plano, coordenado pelo ministro de Estado para a Coordenação Económica, foi aprovado através do Decreto Presidencial n° 13/23 de 6 de Janeiro, e enquadra-se no conjunto de medidas políticas estratégicas do Governo, para fomentar e desenvolver a produção de carne bovina, caprina, ovina e aves, bem como de leite e ovos.

Para o período de 2023 a 2025, o plano possui nove objectivos, onde se destacam, entre outros, a atracção do investimento privado ao longo das cadeias de valor da produção de carne e outros produtos pecuários, bem como fomentar a instalação de matadouros, casas legais de abate e de processamento, furos de água, centros logísticos e de frio.

A aquisição de máquinas pesadas e ligeiras e camiões tecnológicos para o transporte de gado, bem como de carcaças, o incremento dos níveis de produção e de produtividade, acelerando a substituição racional das importações e promover as exportações para mercados específicos, fazem, igualmente, parte do plano.

Pretende-se, ainda, de acordo com uma nota a que o Correio da Kianda teve acesso, garantir financiamentos a produtores, preferencialmente, organizados em cooperativas, no sentido de empoderá-los.

No quadro das políticas e estratégias para o próximo quinquénio, o Governo definiu o subsector da pecuária como uma das grandes linhas prioritárias para o combate à fome, redução da pobreza e promoção do desenvolvimento social e económico do país.

Com a execução desse plano, o Governo perspectiva o aumento da produção de carne, sendo que a bovina passará de 62,1 mil toneladas para 109,4 mil toneladas, a suína de nove mil para 123,4 mil toneladas, a caprina/ovina de 157,1 para 310,1 mil toneladas e as aves de 36,3 mil para 244,3 mil toneladas.

Em relação aos produtos pecuários, o plano prevê o aumento da produção de ovos, que passará de 1.786 milhões para 3.164 milhões e a de leite, de 5.6 milhões de litros para 16,7 milhões.

No âmbito do PLANAPECUÁRIA, o Governo pretende aumentar a contribuição da produção pecuária nacional para a satisfação das necessidades de consumo interno, exportações e do Produto Interno Bruto (PIB) do país.

O plano, segundo o documento, surge num momento em que a produção de carne e produtos pecuários, a nível nacional, apresenta um ritmo de crescimento acelerado, já que, em termos globais, verificou-se um aumento médio anual de 12% de 2017 a 2021, com destaque para a carne suína, com 55%, e a bovina, com 30%.

Esses dados, referentes ao diagnóstico da produção pecuária e consumo, destacam, ainda, que houve um aumento anual médio de 33% na produção de ovos no mesmo período e 14% em relação ao leite.

Relativamente à importação, em 2021, a despesa com produtos pecuários ascendeu 441 milhões de dólares, enquanto a compra de derivados de aves fora do país representou 54% do total de importações, com um total de 238,40 milhões de dólares.

Ainda no período em referência, foram importadas 324,7 mil toneladas, das quais 235,9 mil toneladas de aves, 66,6 mil de suínos, 22,2 mil toneladas de bovinos.

Colunistas