Connect with us

Lifestyle

É dependente e não consegue desligar-se? Não está sozinho

Published

on

Colocar de lado o telemóvel não é tão fácil quanto se pensa. Que o diga o estudo da GfK que concluiu que 34% da população não se consegue desligar.

Um estudo feito pela GfK concluiu que a adição às redes sociais afecta 34% da população mundial estudada. Nos antípodas desta tendência estão apenas 16% da população, que não encontram dificuldade em colocar de lado o telemóvel, computador ou o tablet. A dependência estende-se até aos 49 anos – um indicador que vem provar, por via indirecta, que os comportamentos, antes atribuídos aos millennials, afectam a maioria da população.

O grupo etário entre os 15 e os 19 anos é aquele que representa uma maior percentagem de pessoas (44%) a afirmar ser difícil desligar-se do mundo digital, mesmo sabendo que o deveriam fazer. A excecção recai sobre 11% de pessoas que, neste grupo, declara não ter problemas em “desligar-se”.

Ao contrário do que seria de esperar, o estudo concluiu que os países com mais avanços na utilização da tecnologia, em particular no Japão e na Coreia do Sul, são aqueles onde a dependência às redes sociais apresenta níveis mais baixos. Quem os acompanha é a Alemanha e a Holanda. Já no extremo oposto, onde há indícios de maior adição, estão países como a China, o Brasil, a Argentina e o México – com uma percentagem que varia entre 43% e 38% da população.

Só a partir dos 50 anos de idade se regista um maior número de pessoas que consideram não ser difícil desligar-se das redes sociais. O género também não é factor determinante não havendo praticamente diferença. Afinal tanto os homens (33%) como as mulheres (35%) consideram ser difícil desconectar-se, mesmo em situações em que deveriam fazê-lo.

O estudo da empresa de análise de mercado alemã foi realizado a 22 mil consumidores (com 15 anos ou mais) distribuídos por 17 países: Argentina, Austrália, Bélgica, Brasil, Canada, China, França, Alemanha, Itália, Japão, México, Holanda, Rússia, Coreia do Sul, Espanha, Reino Unido e os Estados Unidos da América.

Aos inquiridos foi perguntado se concordavam ou discordavam com a afirmação: “Acho difícil tirar uma pausa da tecnologia (do meu smartphone, computador, televisão, etc.), mesmo quando sei que o devo fazer”.