Connect with us

Sociedade

Denúncia de maus-tratos à funcionárias leva encerramento de loja no Kikolo

Published

on

A ANIIESA encerrou um estabelecimento comercial no Kikolo após denúncia de maus-tratos à funcionárias.

Trata-se de uma loja de venda de vestuário na zona comercial do Kikolo, em Luanda, que foi encerrada na manhã desta sexta-feira, 5, pelos técnicos da Autoridade Nacional de Inspecção Económica e Segurança Alimentar (ANIESA).

Vídeos postos a circular ontem nas redes sociais denunciam situações constrangedoras a que as funcionárias da loja eram submetidas à saída.

Nos referidos vídeos pode ver-se e ouvir-se uma cidadã de nacionalidade chinesa a submeter as funcionárias a uma constrangedora revista, mudando-as e apalpando, como condição para sairem da loja, no final do expediente laboral.

Em função das denúncias públicas, os técnicos do Gabinete Provincial para o Desenvolvimento Económico Integrado e da Fiscalização, Inspecção Económica e Segurança Alimentar de Luanda, deslocaram-se ontem a loja New Feeling, no Shopping Lindeza, na avenida Ngola Kiluanje, município do Cazenga, e procederam o seu encerramento.

Além dos maus estratos, os funcionários denunciaram outras irregularidades no funcionamento do estabelecimento comercial.

Continue Reading
2 Comments

2 Comments

  1. Teresa Leandro

    07/01/2024 at 7:51 am

    Parabéns pela iniciativa de denúncia e pela reação imediata das autoridades, muitos comerciantes estrangeiros têm nos faltado muito com respeito e nós as vezes com medo de perder o trabalho nos submetemos aos insultos dos mesmos.

    Muito obrigada aos denunciantes e as autoridades.

    • Nascimento de Jesus Sapalo

      11/01/2024 at 7:06 am

      Na minha zona se verifica muito estes tipos de casos, o estrangeiro manda na nossa casa um funcionário não tem voz dentro da empresa se não é demitido. O funcionário é mandado fazer aquilo que não está dentro do contrato, se ele negar é demitido. Nada se pode negar, na qualidade de ser funcionário e em defesa do pão é obedecer, mas isto está mal. Os nossos dirigentes aqui não velam por essa parte. Se o funcionário nega alguma demanda da patroa a demissão é imediata sem indemnização… Triste realidade.

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *