Connect with us

Politica

Crise no Leste da RDC: Luanda, Pretória e Kinshasa buscam soluções para a paz

Published

on

Delegações de Angola, da África do Sul e da República Democrática do Congo estiveram reunidas este domingo, 19, em Kinshasa, para avaliarem a implementação de um roteiro para a consolidação da paz no Leste da RDC.

Desde o dia 28 de Fevereiro, uma delegação angolana tem mantido contacto com a liderança do M23, segundo orientado na Mini-Cimeira sobre a paz e segurança na região dos Grandes Lagos, realizada em Addis Abeba, Etiópia, a 17 de Fevereiro de 2023. Os Chefes de Estado e de Governo mandataram a República de Angola, em coordenação com Uhuru Kennyatta, facilitador designado pela Comissão da África Oriental, a dialogar com a liderança do M23, no sentido de transmitirem as decisões saídas do encontro de Addis Abeba.

Apesar da declaração de cessação das hostilidades emitida pelo M23, a 07 de Março, fontes locais dizem que os rebeldes recapturaram outra localidade ao Norte de Sake, tendo continuado os combates no território de Masisi, no Kivu do Norte.

Neste momento, o país prepara-se para o envio de 450 militares das Forças Armadas Angolanas (FAA) para apoio às operações de manutenção de paz e asseguramento das áreas de acantonamento do M23, na região Leste da RDC, com custos que ultrapassam os 4 mil milhões de kwanzas.

Durante as discussões, os três países propuseram-se ainda a aprofundar a sua parceria estratégica e sustentável, com o objectivo de alcançar resultados concretos.Esta parceria estender-se-á aos sectores do desenvolvimento económico, defesa, infra-estruturas e administração pública.

Serão apresentados relatórios aos respectivos Chefes de Estado pelos ministros dos Negócios Estrangeiros correspondentes, “para que a diplomacia regional olhe na mesma direcção e trabalhe para os mesmos objectivos estratégicos”.

Criada desde Agosto de 2013 entre os governos de Angola, da República da África do Sul e da RDC, esta tripartida abrange as áreas da cooperação política e diplomática, defesa, segurança e ordem pública e governação local, bem como o desenvolvimento económico, social e de infra-estruturas.

Com agências internacionais