Connect with us

Sociedade

Crianças e adolescentes continuam sendo alvos de abuso sexual em Luanda

Published

on

No âmbito dos 16 dias de activismo contra a violência de género, o Correio da Kianda fez um levantamento dos casos mais relevantes de violência contra mulheres e meninas, registados a nível de Luanda, pelo Instituto Nacional da Criança (INAC) em conjunto com a polícia Nacional.

O INAC informou que uma menor, de 12 anos, residente no município de Belas, em Luanda, está grávida, depois de abusada sexualmente. O suspeito do acto é um tio da vítima, de 37 anos. O caso foi encaminhado à Direcção Municipal da Acção Social e ao Comando da Polícia Nacional para se apurar a veracidade da denúncia.

No município de Viana, revelou a porta-voz do INAC, houve outro caso de abuso sexual, em que a vítima foi uma menor de 14 anos. O acusado é um vizinho de 40 anos, que se encontra foragido, sendo que o assunto está já encaminhado para o Comando Municipal da Polícia Nacional.

Ainda deste município da província de Luanda, recebeu-se a denúncia de abuso sexual contra uma menor, de 11 anos, acto supostamente praticado pelo padrasto, um indivíduo de 21 anos.

“O homem foi apanhado em flagrante delito pela mãe da criança”, disse Rosalina Domingos, que acrescentou que a vítima se encontra a receber assistência médica, enquanto o acusado está detido.

Em Cacuaco foi recepcionada uma denúncia de abusos sexuais, em que a vítima é uma adolescente de 13 anos. O suspeito é um tio com quem a menina vivia. De acordo com a denúncia, os abusos sexuais eram recorrentes e, consequência disso, a menor acabou viciada e passou a frequentar locais de prostituição.

No Kilamba Kiaxi, registou-se a denúncia de maus-tratos a uma criança, de quatro anos, que tem sido rejeitada pela progenitora, por ser autista.

De acordo com a denúncia, “a criança fica, muitas vezes, sem comer, porque a mãe quer que ela morra”, avançou Rosalina Domingos, que acrescentou que a mãe chegou a levar a criança a uma igreja, onde se acusou a menor de feitiçaria.