Connect with us

Economia

Criadores de gado “estão de mãos atadas” face ao roubo de animais

Published

on

O porta-voz do II Fórum de Agronegócio, que Luanda vai albergar nos próximos dias, disse em exclusivo à Rádio Correio da Kianda, que os criadores de gado estão de mãos atadas face ao elevado nível de roubo de animais que em muitos casos termina com a morte dos pastores.

Gerson Neto fez essas declarações no programa Ponto e Vírgula da “Verdade em Notícia”. Gerson disse que perdeu um trabalhador, morto a catanada, numa das suas quintas, no Distrito Urbano do Calumbo, Município de Viana. O caso, segundo disse, já lá vão três anos, e as autoridades policiais nada dizem, mesmo sabendo o presumível autor deste acto caracterizado de hediondo.

O também empresário no ramo de Agronegócio disse que o nosso país tem tudo para produzir alimentos suficientes sem necessitar de importar, mas, isso, “poderá acontecer quando os políticos não se envolverem na vida empresarial”. Gerson deu exemplo, que “há políticos empresários que têm gado de estimação e não produz para o mercado ou comércio. Nós precisamos de mudar este quadro”, disse.

Gerson Neto encorajou a denúncia do Ministro de Coordenação Económica, José de Lima Massano, sobre a preocupação dos grossistas preferirem importar produtos da cesta básica do que escoar os produzidos localmente, garantiu que “o Executivo pode contar com o apoio desta classe, para se diminuir a importação e empoderar os investidores locais”, e apontou as desvantagens da importação dos produtos que consiste em “levar a moeda estrangeira fora do país, e nos momentos difíceis, o país fica despido do dólar, mas, potenciando os empresários que actuam no país, sobretudo os nacionais, o país sai muito a ganhar”.

Por isso, Gerson defendeu a diminuição das quantidades dos produtos a importar, com vista incentivar os produtores nacionais a trabalharem para o mercado. Deu exemplo do caso das Forças Armadas Angolanas e da Polícia Nacional: “poderiam consumir produtos locais, evitando importar alimentação, aí, os empresários sairiam a ganhar, o país também”.

O Fórum que terá lugar em Luanda, na primeira semana de Outubro do ano em curso, vai juntar homens e mulheres do Agronegócio de quase todas as províncias e visa brindar os participantes com conhecimentos que poderão engrandecer a produção.

O certame, organizado pela Zambeca, vai decorrer sob lema “A importância da industrialização do Agronegócio em Angola” e “vai contar com especialistas nacionais, brasileiros, cubanos e portugueses”, disse, Gerson Neto.

Jornalista multimédia com quase 15 anos de carreira, como repórter, locutor e editor, tratando matérias de índole socioeconómico, cultural e político é o único jornalista angolano eleito entre os 100 “Heróis da Informação” do mundo, pela organização Repórteres Sem Fronteira. Licenciado em Direito, na especialidade Jurídico-Forense, foi ainda editor-chefe e Director Geral da Rádio Despertar.