Connect with us

Politica

Covid.19: Governo cancela retoma das aulas no pré-escolar e libera voos internacionais

Published

on

O Governo decidiu suspender a retoma da actividade lectiva presencial no ensino pré-escolar, que estava prevista para 15 de Março, informou o ministro de Estado e da Casa Civil do Presidente da República.

Adão de Almeida, que falava numa conferência de imprensa ontem para apresentar as novas regras da situação de calamidade pública que vão vigorar a partir das 00:00 de 12 de Março, indicou que a decisão foi “fruto da avaliação epidemiológica e abordagem que as novas variantes do vírus sugerem relacionadas” com a matéria.

O governante explicou, no entanto, que serão adoptadas algumas medidas de precaução para que se faça “oportunamente” uma retoma segura.

Segundo a ministra da Saúde, Sílvia Lutucuta, será introduzido um novo grupo prioritário no plano de vacinação, a partir da próxima semana, mais especificamente os educadores do ensino pré-escolar, processo que terá início em Luanda e depois será expandido para as províncias de Cabinda e Benguela.

A responsável da Saúde apelou aos responsáveis das creches para que façam o levantamento dos educadores na plataforma disponível para o efeito para que o processo de vacinação seja mais rápido.

Questionada pelos jornalistas, Silvia Lutucuta reafirmou a confiança do Governo na vacina da Astrazeneca, indicando que não há registo de efeitos adversos dignos de realce.

Sobre a altura em que foi vacinada (a ministra recebeu a primeira dose em 10 de Março, numa altura em que tinham sido já imunizadas mais de 11 mil pessoas), Sílvia Lutucuta esclareceu que o plano de vacinação contemplava inicialmente os profissionais da linha da frente e a seguir todos os profissionais de saúde.

Foi neste âmbito, explicou, que a própria ministra foi vacinada, como titular da pasta e médica.

Foram até à data vacinadas mais de 24 mil pessoas entre profissionais de saúde e outros que se encontram bastante expostos, bem como pessoas com mais de 65 anos e comorbilidades.

De forma genérica, o decreto presidencial que actualiza as regras vigentes na situação de calamidade pública a partir das 00:00 de sexta-feira segue as orientações anteriores, mantendo-se a cerca sanitária.

Entre as alterações estão a suspensão da retoma do ensino pré-escolar, o reinício dos voos directos para Portugal, Brasil e África do Sul e o fim das restrições aos cultos religiosos.

Angola registou um total de 21.205 infecções, 517 óbitos e 19.827 recuperações da doença.

A pandemia de covid-19 provocou, pelo menos, 2.621.295 mortos no mundo, resultantes de mais de 117,9 milhões de casos de infecção, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detectado no final de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Por Lusa