Connect with us

Sociedade

Covid-19: alto número de cidadãos sem vacina coloca Angola em risco frente a novas variantes

Published

on

Em Angola, 6,8 milhões de pessoas estão sem vacinação completa contra a covid-19, enquanto 3,3 milhões de cidadãos encontram-se sem nenhuma dose de vacina, facto que coloca o país em risco elevado ao surgimento de surtos recorrentes e aparecimento de novas variantes, informou este sábado, 15, em Luanda, o Secretário de Estado para a Saúde Pública.

Carlos Alberto Pinto de Sousa ressaltou que Namibe, Uíge e Cuanza Norte são as únicas províncias com doses completas da cobertura global da população acima dos 12 anos de idade, representando mais de 60%.

A província de Luanda atingiu 55% do sistema base completo, ou seja, duas doses completas ou uma dose da vacina Johnson & Johnson. As províncias do Cunene, Zaire, Moxico, Benguela e Cuando Cubango têm cobertura de vacinação mais baixas, referiu o gestor.

Apesar de ter experimentado quatro grandes vagas, entre 2020 e Junho de 2021, Angola regista, desde o início do ano em curso, uma taxa de incidência e transmissibilidade estáveis pela Covid-19, revelou o secretário de Estado para a Saúde Pública, para quem este facto indica o controlo da pandemia no país.

Alertou, entretanto, para a necessidade de se manter o controlo da doença, através da adesão em massa da população à vacinação, uma estratégia mundial mais eficaz e segura para a prevenção e combate à pandemia.

“A vacinação continua a ser uma arma poderosa para o combate ao surgimento de novas variantes que provocam vagas epidemiológicas alarmantes”, afirmou.

Até este sábado, tinham sido administradas 25 186 376 doses de vacinas, sendo que 15 653 681 pessoas apanharam a primeira dose, representando uma cobertura de imunização de 83%, em todo o país. Ainda do total de vacinas administradas, 8 738 631 utentes fizeram doses completas, correspondendo a uma cobertura de 46%.

Circulação comunitária

O Secretário de Estado para a Saúde Pública informou também que Angola continua a ter a circulação comunitária do vírus SARS-CoV-2 (Covid-19), com um registo total de 165 372 casos, desde Março de 2020, período em que registou o primeiro infectado, até à presente data.

Do número total de infectados, 78% são de Luanda, tendo sido registada a recuperação de 103.416 pessoas e 1.934 mortos.

O país regista 22 casos activos, dos quais cinco sintomáticos e 17 assintomáticos. Dos doentes sintomáticos, dois encontram-se em estado crítico. Durante o ano em curso, ressaltou, registaram-se dez óbitos associados às comorbilidades, nas províncias de Benguela, Huíla e Luanda.

Os homens continuam a ser os mais afectados pela Covid-19, com 58% do número total de casos, enquanto os grupos etários mais atingidos são os que vão dos 30 a 39 anos, que concentram 26,3% dos doentes.