Connect with us

Politica

Cooperação entre Angola e São Tomé “condicionada” pela covid-19

Redação

Published

on

O vice-presidente angolano disse nesta terça-feira, 24, que a cooperação entre Luanda e São Tomé está “condicionada” pela pandemia de covid-19, garantindo que “logo que haja condições” serão implementados “um conjunto de programas” que vão reforçar essa relação.

Bornito de Sousa, que se deslocou à capital são-tomense para participar no funeral do antigo vice-presidente do parlamento são-tomense, Alcino Pinto, foi portador de uma mensagem do presidente, João Lourenço, ao seu homólogo são-tomense, Evaristo Carvalho.

“Devo apenas referir que de um maneira geral, [a mensagem] destaca a elevação e a importância da cooperação entre os dois países e povos que, naturalmente, está condicionada pela pandemia de covid-19, mas tão logo haja condições, há um conjunto de programas e canais que devem ser implementados no sentido desse reforço da cooperação entre os dois povos e governos”, disse o governante angolano.

O responsável destacou as relações exteriores, o sector energético e o transporte aéreo como as áreas onde se destaca a cooperação entre Luanda e São Tomé.

O vice-presidente de Angola, que regressou ainda hoje ao seu país, teve encontros com o primeiro-ministro, Jorge Bom Jesus, e com o presidente da Assembleia Nacional, Delfim Neves, e foi recebido em audiência pelo Presidente são-tomense.

“O objectivo principal foi fazermos a entrega de uma mensagem de sua excelência, o Presidente da República de Angola, João Lourenço, no sentido de transmitir a solidariedade entre os dois povos e os dois governos”, explicou à imprensa, no final do encontro com Evaristo Carvalho, no Morro da Trindade, a cerca de dez quilómetros da capital, onde o chefe de Estado se encontra em convalescença depois de ter sido submetido a uma intervenção cirúrgica no Hospital Militar, em Lisboa.

O vice-presidente angolano deslocou-se à capital são-tomense, chefiando uma delegação do seu país, para participar no funeral do antigo vice-presidente da Assembleia Nacional de São Tomé e Príncipe, Alcino Pinto, que faleceu na quinta-feira vítima de paragem cardiovascular.

“Foi uma entidade transversalmente reconhecida ao nível do nosso país como sendo alguém do consenso, que procurava união de todas as forças políticas”, referiu Bornito de Sousa, recordando que Alcino Pinto foi um dirigente juvenil na mesma altura em que era também dirigente juvenil em Angola, pelo que os dois tinham uma “relação particular”.

Por Lusa

Continue Reading
Advertisement
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Advertisement

Colunistas

Ladislau Neves Francisco
Ladislau Neves Francisco (23)

Politólogo - Comunicólogo - Msc. Finanças

Olivio N'kilumbo
Olivio N'kilumbo (21)

Politólogo

Vasco da Gama
Vasco da Gama (81)

Jornalista

Walter Ferreira
Walter Ferreira (15)

Coordenador da Plataforma Juvenil para a Cidadania

© 2017 - 2020 Todos os direitos reservados a Correio Kianda. | Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização.
Ficha Técnica - Estatuto Editorial RGPD